Siga as Redes Sociais

Esporte

Veja as 10 motos mais caras do Brasil; Ducati de R$ 700 mil lidera

Redação Encarando

Publicado

em

Com o lançamento da inédita Ducati Superleggera V4, a lista das 10 motos mais caras do Brasil tem uma nova líder. O modelo custa R$ 700 mil e deixou as concorrentes de BMW, Harley-Davidson, Honda e Kawasaki para trás.

1. Ducati Superleggera V4 – R$ 700 mil

Ducati Superleggera V4 — Foto: Divulgação

Ducati Superleggera V4 — Foto: Divulgação

Como aconteceu com a antiga 1299 Panigale, a variante Superleggera sempre é aguardada para a esportiva máxima da fabricante italiana de luxo. O modelo é o mais parecido com uma moto de competição que se pode ter para as ruas. Na V4 Superleggera, isso é levado ao máximo com até 234 cavalos de potência e diversos elementos de fibra de carbono.

2. BMW HP4 Race – R$ 495.000

BMW HP4 Race custará R$ 490 mil no Brasil — Foto: Rafael Miotto/G1

BMW HP4 Race custará R$ 490 mil no Brasil — Foto: Rafael Miotto/G1

Lançada no Salão Duas Rodas 2017, a BMW HP4 perdeu o posto de moto mais cara do Brasil para a Superleggera, mas se mantém como uma das mais exclusivas. Utilizando como base a antiga geração da S 1000 RR, essa esportiva tem chassi de fibra de carbono que pesa apenas 7,8 kg, para um peso total de 171 kg. Seu motor de 4 cilindros e 999 cc rende 215 cavalos de potência.

3. Ducati Panigale V4 R – R$ 250.000

Ducati Panigale V4R — Foto: Ducati/Divulgação

Ducati Panigale V4R — Foto: Ducati/Divulgação

A Panigale V4 R é o mais próximo que se pode chegar da V4 Superleggera. Ela também pode chegar a 234 cavalos de potência com o “kit pista”, mas não traz tantos elementos de carbono. Mesmo assim, ainda é uma moto “fora de série”, com seu motor de 4 cilindros e 998 cc de cilindrada. Ela é a moto usada de base para o Mundial de Superbike.

4. Harley-Davidson CVO Limited – R$ 177.300

Harley-Davidson CVO Limited — Foto: Guilherme Veloso/Harley-Davidson do Brasil

Harley-Davidson CVO Limited — Foto: Guilherme Veloso/Harley-Davidson do Brasil

Parte da linha CVO da Harley-Davidson, que são motos como que “customizadas de fábrica, a CVO Limited é o de mais luxuoso que se pode encontrar nos produtos da marca norte-americana. A moto utiliza o motor Milwaukee-Eight, que é capaz de gerar 16,9 kgfm de torque, tem pintura especial e conta com controle de tração e freios combinados. O pacote é completo por central multimídia sensível ao toque.

5. Honda Gold Wing Tour – R$ 162.812

Honda GL 1800 Gold Wing — Foto: Marcelo Brandt/G1

Honda GL 1800 Gold Wing — Foto: Marcelo Brandt/G1

Esta nova geração da Gold Wing, de 2018, traz as mais profundas mudanças na moto desde o lançamento do modelo antigo, que era de 2001 e teve atualização em 2010. O motor é boxer de 6 cilindros e 1.832 cc de cilindrada, que chega a 126 cavalos de potência e 17,34 kgfm de torque. A versão topo de linha Tour conta com câmbio de dupla embreagem de 7 marchas. Feita para longas viagens, a moto tem central multimídia de 7 polegadas.

6. Harley-Davidson CVO Street Glide – R$ 159.800

Harley-Davidson CVO Street Glide — Foto: Divulgação

Harley-Davidson CVO Street Glide — Foto: Divulgação

Como acontece com as estradeiras de BMW e Honda, além da versão mais tradicional, essas motos contam com uma opção mais ágil e leve. É isso o que acontece com a CVO Street Glide em relação à CVO Limited. O modelo mantém a mesma base mecânica, mas suas carenagens são menores e mais fluídas.

7. BMW K 1600 B – R$ 150.000

BMW K 1600 B — Foto: Marcelo Brandt/G1

BMW K 1600 B — Foto: Marcelo Brandt/G1

Derivada da linha K 1600, a moto é a mais estilosa dentre as estradeiras da BMW. Seu motor é o 6 cilindros em linha de 1.649 cc, que é capaz de render 160 cavalos de potência, trabalhando em conjunto com câmbio de 6 marchas. Sua transmissão secundária é feita por eixo cardã.

8. BMW K 1600 GTL – R$ 144.000

BMW K 1600 GTL — Foto: BMW/Divulgação

BMW K 1600 GTL — Foto: BMW/Divulgação

A K 1600 GTL é mais tradicional em comparação à K 1600 B. Ela é um concorrente da Honda Gold Wing Tour e da Harley-Davidson CVO Limited. O motor é o mesmo de sua irmã, mas os diferenciais estão na melhor proteção aerodinâmica, além de assento mais espaçoso.

9. Honda Gold Wing – R$ 142.012

Honda Gold Wing 2019 — Foto: Honda/Divulgação

Honda Gold Wing 2019 — Foto: Honda/Divulgação

A opção de entrada da Gold Wing segue com os mesmo requisitos mecânicos e tecnológicos de sua irmã, mas o modelo é mais esportivo. Com carenagens menores, mas ainda boa proteção aerodinâmica, o modelo conta com câmbio de dupla embreagem e 6 marchas.

10. Kawasaki Ninja H2 SX SE+ – R$ 139.990

Kawasaki Ninja H2 SE+ — Foto: Divulgação

Kawasaki Ninja H2 SE+ — Foto: Divulgação

Única moto com propulsor “turbinado” com compressor da lista, a Ninja H2 SX SE+ tem motor de 4 cilindros e 998 cc. Ele é capaz de gerar 210 cavalos de potência e 14 kgfm de torque. Com uma pegada sport-touring, para uso em estradas, a moto tem um aparato aerodinâmico bem avançado.

Fonte: G1

Esporte

Palmeiras cai outra vez nos pênaltis e Defensa conquista a Recopa

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Três dias após perder a Supercopa do Brasil para o Flamengo, o Palmeiras voltou a deixar escapar um título nos pênaltis, e novamente em Brasília. Nesta quarta-feira (14), no Mané Garrincha, o Verdão foi superado pelo Defensa y Justicia (Argentina) nas penalidades, por 4 a 3, após ser derrotado por 2 a 1 no tempo normal.

Há uma semana, o time paulista venceu o jogo de ida por 2 a 1 no estádio Norberto “Tito” Tomaghello, em Florencio Varela (Argentina). Até os 47 minutos do segundo tempo desta quarta, a partida na capital federal estava empatada em 1 a 1, resultado que dava o título à equipe alviverde. Uma bomba indefensável do lateral Marcelo Benítez, porém, decretou a vitória do Defensa e levou o duelo para a prorrogação. Nos pênaltis, o atacante Luís Adriano e o goleiro Weverton desperdiçaram as cobranças, enquanto o time argentino teve aproveitamento perfeito.

Em desvantagem no placar agregado, o Defensa teve a iniciativa do ataque com jogadas de linha de fundo, dando trabalho à dupla de laterais do Palmeiras. Faltou, porém, capricho nas conclusões do atacante Walter Bou (que furou a bola dentro da área) e do meia Francisco Pizzini (que perdeu a chance após rebote de Weverton, chutando para fora).

Quem acabou balançando as redes foi o Verdão. Aos 18 minutos, o zagueiro Fernando Meza fez a carga no atacante Rony dentro da área e a penalidade foi marcada com participação do árbitro de vídeo (VAR). O meia Raphael Veiga cobrou e abriu o placar. A vantagem alviverde, porém, durou 12 minutos. O atacante Braian Romero recebeu cruzamento por baixo de Pizzini, que dominou às costas do zagueiro Gustavo Gómez, e bateu de primeira para deixar tudo igual. Aos 36, Weverton evitou a virada duas vezes em sequência, em finalizações de Romero e Benítez.

O segundo tempo começou equilibrado, com a primeira boa chance do Defensa. Aos seis minutos, Romero recebeu (mais uma vez) de Pizzini e foi travado frente a frente com Weverton. Aos dez, Benítez quase surpreendeu o goleiro palmeirense, que evitou o gol olímpico. O Verdão respondeu aos 15, com Rony chutando da entrada da área, obrigando o goleiro Ezequiel Unsain a uma boa defesa.

O jogo ficou dramático para o Palmeiras aos 20 minutos, quando Matías Viña foi expulso após o VAR (árbitro de vídeo) identificar um chute do lateral em Meza. Com um a menos, o Verdão teve a chance de liquidar a fatura aos 33, mas a finalização de bico do atacante Gabriel Veron foi defendida por Unsain. O Defensa foi com tudo para o ataque e, nos acréscimos, Benítez aproveitou a sobra de uma bola e soltou a bomba, indefensável para Weverton, deixando tudo igual e forçando a prorrogação.

O tempo extra começou agitado. Aos dois minutos, o Defensa reclamou de pênalti não marcado de Gómez no atacante Miguel Merentiel. Aos quatro, foi a vez de Rony cair na área em dividida com Unsain. A arbitragem mandou o jogo seguir, mas, alertada pelo VAR, assinalou a penalidade do goleiro. A marcação gerou muita confusão entre jogadores e as comissões técnicas. Romero foi expulso, deixando o time argentino também com dez em campo. Gómez, porém, desperdiçou a penalidade, defendida por Unsain.

O desenrolar da prorrogação escancarou o desgaste de ambas as equipes, que pouco conseguiram produzir. A decisão acabou indo para os pênaltis. Pior para o Verdão. Luís Adriano, que entrou no tempo extra, perdeu a segunda cobrança, enquanto Weverton desperdiçou o quarto chute e decidiu o título a favor dos argentinos, que assinalaram as quatro batidas.

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo

Futebol

Ex-Flamengo, Paquetá provoca Palmeiras após título, recebe críticas e rebate: ‘Agora é a nossa vez’

Karytha Leal

Publicado

em

Revelado pelo Flamengo, o meia Lucas Paquetá, do Lyon, usou as redes sociais para provocar o Palmeiras após o título rubro-negro na Supercopa do Brasil, neste domingo. O jogador ironizou o rival com uma canto da torcida rubro-negra fazendo menção ao Mundial de Clubes.

“Atualizando que os mlks é f… O palmeiras… Não tem Copinha… Não tem Mundial e Não tem Supercopa”, escreveu em seu perfil no Twitter, na tarde de domingo.

A postagem repercutiu entre torcedores do alviverde e do rubro-negro, e a rede do jogador foi tomada por críticas, discussões e provocações contrárias de alviverdes. Nesta segunda-feira, o jogador rebateu os críticos, afirmou que é rubro-negro desde criança e reclamou que “ninguém pode mais zoar ninguém”.

“Cara, o futebol tá muito chato, ninguém pode mais zoar ninguém, todo muito fica com um ódio desnecessário, 2018 dançaram na frente da loja do Flamengo. Agora é a nossa vez! (SIM, NOSSA). Sou Flamengo desde pequeno, fiz música com 12 anos, sou torcedor, acompanho e vibro! Fé”, desabafou Paquetá. Nos comentários, ele ganhou apoio do atacante Richarlison, do Everton e da seleção brasileira.

Continue Lendo

Esporte

Neymar brinca ao indicar ‘curso’ para os perdedores de pênalti na Supercopa

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Reuters

Neymar não perdoou a oportunidade de brincar com os jogadores de Flamengo e Palmeiras, que falharam na decisão por pênaltis da Supercopa do Brasil, disputada, neste domingo, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O craque do Paris Saint-Germain usou as redes sociais.

“Inscrições de curso de pênaltis estão abertas”, escreveu o camisa 10 do time de Paris, que estava de folga no fim de semana, cobrindo suspensão de dois jogos por ter sido expulso contra o Lille, pelo Campeonato Francês.

Um usuário chegou a comentar que Diego Alves poderia pegar de olhos fechados um pênalti cobrado pelo ex-atleta do Santos. “Pior que já pegou um”, escreveu Neymar, se referindo a uma partida de 2016 pelo Campeonato Espanhol, no qual o Barcelona venceu o Valencia por 7 a 0.

Neymar admitiu que estava ‘zoando’ e brincando com os colegas de trabalho e elogiou o ‘jogão’ proporcionado pelas equipes. Na disputa de pênaltis, que teve a vitória do Flamengo, por 6 a 5, após empate no tempo normal por 2 a 2, Luan, Danilo, Gabriel Menino e Mayke erraram pelo time paulista, enquanto Filipe Luís, Matheuzinho e Pepê não converteram para os cariocas.

Fonte: Estadão Conteúdo

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat