Siga as Redes Sociais

Esporte

Jogos Olímpicos de Tóquio são reagendados, e abertura acontecerá em julho de 2021

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: ISSEI KATO / REUTERS

Após ser adiado por conta da pandemia do novo coronavírus, os Jogos Olímpicos de Tóquio têm nova data definida para serem realizados: de 23 de julho a 8 de agosto de 2021 na capital japonesa. O acordo foi alcançado nesta segunda-feira, em consenso após reunião entre o Comitê Executivo do COI e o Comitê Organizador de Tóquio 2020. As Paralimpíadas acontecerão entre 25 de agosto e 6 de setembro.

– Quero agradecer às Federações Internacionais pelo apoio unânime e às Associações Continentais dos Comitês Olímpicos Nacionais pela grande parceria e pelo apoio no processo de consulta nos últimos dias. Também gostaria de agradecer à Comissão de Atletas do COI, com quem mantemos contato constante. Com este anúncio, estou confiante de que, trabalhando em conjunto com o Comitê Organizador de Tóquio 2020, o Governo Metropolitano de Tóquio, o Governo Japonês e todas as nossas partes interessadas, podemos superar esse desafio sem precedentes. Atualmente, a humanidade se encontra em um túnel escuro. Estes Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 podem ser uma luz no fim deste túnel – disse Thomas Bach, em comunicado oficial divulgado pelo COI.

As novas datas foram escolhidas após uma teleconferência entre Thomas Bach, presidente do COI, e Shinzo Abe, Primeiro-Ministro do Japão, “para resguardar a segurança de atletas, técnicos e de todos que participariam diretamente ou indiretamente das competições”.

Presidente do Comitê de Tóquio 2020, Yoshiro Mori afirmou ter recebido uma ligação do Comitê Olímpico Internacional pedindo a confirmação da data. A 32ª edição do megavento tem previsão de contar com 11 mil atletas de pelo menos 204 países.

Em 24 de março deste ano, os Jogos foram adiados devido a pandemia do novo coronavírus. A ideia sempre foi realizar a remarcação para meados de 2021 – a disputada na primavera de 2020 foi totalmente descartada.



Confira o comunicado oficial do COI:

“As lideranças dos principais partidos se reuniram via conferência telefônica hoje cedo, com a presença do presidente do COI, Thomas Bach, do presidente Mori Yoshiro, do Comitê Olímpico Tóquio 2020, do governador de Tóquio, Koike Yuriko, e do ministro olímpico e paralímpico Hashimoto Seiko, que concordaram com o novo cronograma.

Essa decisão foi tomada com base em três considerações principais e em conformidade com os princípios estabelecidos pelo Conselho Executivo do COI, em 17 de março de 2020, confirmados em sua reunião de hoje. Estes foram apoiados por todas as Federações Esportivas Olímpicas Internacionais de Verão e todos os Comitês Olímpicos Nacionais:

1. Proteger a saúde dos atletas e de todos os envolvidos e apoiar a contenção do vírus COVID-19.

2. Resguardar os interesses dos atletas e do esporte olímpico.

3. O calendário internacional dos esportes.

Essas novas datas dão às autoridades de saúde e a todos os envolvidos na organização dos Jogos o tempo máximo para lidar com o cenário em constante mudança e com as perturbações causadas pela pandemia do COVID-19. As novas datas, exatamente um ano após as originalmente planejadas para 2020 (Olimpíadas em 24 de julho a 9 de agosto de 2020, e Paralimpíadas em 25 de agosto a 6 de setembro de 2020), também têm o benefício adicional de que qualquer problema que o adiamento cause ao calendário esportivo internacional pode ser reduzido ao mínimo, algo que interessa aos atletas e as Federações Internacionais. Além disso, eles fornecerão tempo suficiente para concluir o processo de qualificação. As mesmas medidas de mitigação de calor planejadas para 2020 serão implementadas.

Em uma teleconferência na terça-feira, 24 de março de 2020, com base nas informações fornecidas pela OMS na época, o presidente do COI Thomas Bach e o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe concluíram que os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 seriam realizados em sua forma completa e até o verão de 2021 O Primeiro Ministro reiterou que o governo do Japão está pronto para cumprir sua responsabilidade de sediar os Jogos com sucesso. Ao mesmo tempo, o presidente do COI, Thomas Bach, enfatizou o compromisso total do COI com os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Após a decisão de hoje (segunda-feira, 30), o Presidente do COI disse: “Quero agradecer às Federações Internacionais pelo apoio unânime e às Associações Continentais dos Comitês Olímpicos Nacionais pela grande parceria e pelo apoio nas consultas feitas nos últimos dias. Também gostaria de agradecer à Comissão de Atletas do COI, com quem mantemos contato constante. Com este anúncio, estou confiante de que, trabalhando em conjunto com o Comitê Organizador de Tóquio 2020, o Governo Metropolitano de Tóquio, o Governo Japonês e todas as nossas partes interessadas, podemos superar esse desafio sem precedentes. Atualmente, a humanidade se encontra em um túnel escuro. Estes Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 podem ser uma luz no fim deste túnel. ”

Fonte: Extra

Futebol

Palmeiras abre 2 a 0, cede empate, mas vence no Peru em estreia na Libertadores

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Fonte: Getty Images

O Palmeiras mostrou nesta quarta-feira, na sua estreia na Copa Libertadores, como se complica um jogo fácil. Abriu 2 a 0 sobre o Universitario, em Lima, poderia ter ampliado, mas passou a errar muito, sofreu o empate e depois disso sofreu com as escolhas erradas do técnico Abel Ferreira. Foi salvo por um gol de Renan no último lance e venceu por 3 a 2, em jogo válido pelo Grupo A. Na terça-feira, joga contra o Independiente del Valle.

Abel surpreendeu ao escalar o time com três zagueiros – Luan, Empereur e Gustavo Gómez. Mas não fez isso por temer mais problemas neste momento delicado com a equipe está passando por causa da falta de resultados e de bom futebol. Mesmo porque é difícil ter medo do fraco time peruano.

Com o esquema, ele teve o objetivo de adiantar os alas, e por consequência o time. Além disso, em campo em várias ocasiões Gómez se posicionava como volante, o que permitia a Danilo e a Patrick de Paula jogarem mais adiantados, buscando a área do Universitário.

Com o time bem adiantado, o Palmeiras foi para cima do donos da casa, que tinham dificuldade para se defender. Porém, apesar do posicionamento adiantado, Marcos Rocha e Victor Luís não eram tão acionados como se esperava. O time alviverde preferia as jogadas pelo meio, com boas trocas de bola. E não foi difícil chegar à vantagem, embora o gol tenha nascido de um escanteio. Na cobrança, a bola atravessou a pequena área, Empereur desviou e Danilo só tocou para as redes.

O primeiro tempo terminou 1 a 0, mas o placar poderia ter sido mais dilatado, se o Palmeiras tivesse mais precisão nas conclusões. Teve chances com Patrick de Paula, outra com Danilo e Luan acertou o travessão no último lance da etapa.

Mas o segundo gol saiu logo aos 7 minutos da etapa final. Luan fez belo lançamento para Rony, que foi ao fundo e rolou para trás para Raphael Veiga, que encheu o pé e acertou o ângulo direito de Carvallo.

Estava dando tudo certo, mas, depois disso, o Universitário assustou duas vezes, mas mais por relaxamento do Palmeiras do que por seus próprios méritos. Era um sinal do que estava por vir. Um minuto depois de Empereur ser expulso por receber o segundo cartão amarelo, em uma bola levantada na área, o grandalhão Gutiérrez ganhou no alto do baixinho Marcos Rocha e diminuiu, aos 19. A coisa ficaria pior três minutos depois, quando Danilo fez pênalti bobo ao dominar a bola com o braço na área. Gutiérrez soltou a bomba e empatou a partida.

Aí Abel bagunçou o time. Manteve os três zagueiros (Renan entrou), mas tirou Raphael Veiga, que estava bem, e colocou Scarpa na ala direita. Sorte do português, que tem estrela. No último lance, Renan aproveitou escanteio cobrado por Scarpa e livrou a cara do técnico.

FICHA TÉCNICA:

UNIVERSITÁRIO 2 x 3 PALMEIRAS

UNIVERSITÁRIO – Carvallo; Corso, Alonso, Quina e Valverde; Alfegeme, Barreto (Murugarra), Quintero, Novick e Urruti. Gutiérrez (Valero). Técnico: Ángel Comizzo.

PALMEIRAS – Weverton; Luan, Gómez e Empereur; Marcos Rocha (Wesley), Patrick de Paula (Scarpa), Danilo, Raphael Veiga (Danilo Barbosa) e Victor Luís (Esteves); Luiz Adriano (Renan) e Rony. Técnico: Abel Ferreira.

GOLS – Danilo, aos 19 minutos do primeiro tempo. Raphael Veiga, aos 7, Gutiérrez, aos 19 e 22, e Renan, aos 49 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Valverde, Quintero, Empereur, Alonso, Patrick de Paula, Danilo Barbosa, Barreto.

CARTÃO VERMELHO – Empereur.

ÁRBITRO – Christian Ferreira (URU).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio Monumental de Lima, no Peru.

Fonte: Estadão Conteúdo

Continue Lendo

Futebol

Santos perde para o Barcelona-EQU e já se complica na fase de grupos da Libertadores

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Guilherme Dionízio/AFP

Nesta terça-feira, o Santos foi derrotado por 2 a 0 pelo Barcelona-EQU, na Vila Belmiro, e iniciou com o pé esquerdo a participação no grupo C da Libertadores. A chave é considerada difícil, com as presenças do Boca Juniors e The Strongest, que conta com a altitude boliviana. Os gols dos equatorianos foram marcados por Garcés e Pará, contra.

O primeiro tempo foi de pouca criatividade por parte do Santos, que foi prejudicado pelo gramado encharcado. As melhores chances foram do Barcelona, com o habilidoso Damián Díaz. Logo no retorno do intervalo, Pará saiu jogando errado, e os visitantes não desperdiçaram a oportunidade, abrindo o placar na Vila. Na segunda etapa, o Peixe não melhorou e viu os equatorianos ampliarem, com um gol contra de Pará, que teve jornada infeliz nesta noite.

O próximo jogo do Peixe pela Libertadores será contra o Boca Juniors, na terça-feira que vem, às 21h30, na Argentina. Antes disso, o time tem dois compromissos pelo Paulistão: visita o Novorizontino na sexta, às 22h15, e recebe o Corinthians no domingo.

O jogo – Mesmo jogando fora de casa, o Barcelona não se acanhou e teve a primeira chance da partida. Após jogada pela esquerda, Damián Díaz recebeu dentro da área e chutou à esquerda do gol. O Santos só finalizou com maior perigo aos 23 minutos, com Marinho pegando uma sobra finalizando forte para defesa do goleiro.

O Barcelona fez uma boa pressão na saída de bola do Peixe, dificultando a criação do time mandante, que também sofreu com o gramado pesado e molhado. Os equatorianos voltaram a assustar em uma saída estranha de João Paulo fora da área. A posse ficou com Damián Díaz, que finalizou e viu a bola parar na poça, que evitou o gol. Ainda deu tempo de Pineida arriscar de média distância, e João Paulo espalmar no meio da meta.

Na segunda etapa, o Santos voltou com a mesma dificuldade para sair jogando. Após passe errado de Pará, Martínez invadiu a área pela esquerda e serviu Garcés, que apenas empurrou para as redes. Em seguida, Martínez quase ampliou, acertando um chute de muito longe no travessão.

Aos 23 minutos, o Barcelona chegou ao seu segundo gol na Vila Belmiro. Hoyos foi acionado pela direita e tocou para Garcés, que finalizou. A bola bateu em Pará e entrou. Mesmo com substituições ofensivas feitas por Holan, o Santos continuou tendo uma atuação pouquíssimo inspirada, não levando perigo ao gol defendido por Burrai em nenhum momento. Ainda deu tempo de Oyolo quase marcar o terceiro para os equatorianos.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 2 BARCELONA-EQU

Data: 20 de abril de 2021 (terça-feira)
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Andres Matonte (URU)
Assistentes: Richard Trinidad e Martin Soppi (ambos do URU)
Cartões amarelos: Soteldo (Santos); Riveros, Emmanuel Martínez, Pineida (Barcelona)

GOL:
Barcelona: Garcés (sete minutos do 1º tempo) e Pará, contra (23 minutos do 2º tempo)

Santos: João Paulo, Madson (Balieiro), Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison (Lucas Lourenço), Pará e Pirani (Lucas Braga); Marinho, Soteldo e Marcos Leonardo (Kaio Jorge).
Técnico: Ariel Holan

Barcelona: Burrai; Castillo, León, Riveros, Pineida; Molina (López), Piñatares, Hoyos (Quiñonez), Damián Díaz (Oyola), Emmanuel Martínez (Montaño); Carlos Garcés (Mastriani).
Técnico: Fabián Bustos

Fonte: Gazeta Esportiva

Continue Lendo

Futebol

Flamengo bate o Vélez de virada em estreia na Libertadores

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Juan Mabromata/AFP


O Flamengo derrotou o Vélez Sarsfield, de virada, na noite desta terça-feira por 3 a 2, no Estádio José Amalfinati, em Buenos Aires, na Argentina. O jogo foi válido pelo Grupo G da Libertadores, que agora tem os brasileiros na liderança com três pontos. Os argentinos seguram a lanterna em uma chave onde nesta quarta-feira jogam, no Chile, Unión La Calera e LDU, do Equador. Arão, Gabigol e Arrascaeta fizeram os gols dos vitoriosos, enquanto Janson descontou duas vezes para os donos da casa.

O Flamengo começou o jogo com mais posse de bola, mas sem muita capacidade de penetração. Assustou aos seis minutos, quando Gabigol, livre de marcação, não alcançou um cruzamento. Com uma postura mais ofensiva os brasileiros acabaram sendo surpreendidos no contra-ataque. Assim o Vélez Sarsfield abriu o marcador aos 20 minutos. Lucero fez boa jogada individual, deixou Gustavo Henrique caído no chão e rolou para o complemento certeiro de Janson.

A vantagem não alterou a estratégia do Vélez, que se fechou ainda mais. Com o Flamengo nervoso, sem conseguir criar, os argentinos quase ampliaram em outro contra-ataque aos 39 minutos. Almada avançou e chutou à direita do goleiro Diego Alves.

Para conseguir o empate o Flamengo precisava apelar para a habilidade de seus craques e isso acabou decidindo aos 43 minutos. Após rebote, Gérson fez grande jogada e furou a defesa com um belo passe para Arão. O volante, que atuou como zagueiro, só teve o trabalho de deslocar o goleiro Hoyos e decretar a igualdade. E por muito pouco o Rubro-Negro não foi em vantagem para um intervalo em um lance exatamente igual. Gérson dessa vez acionou Everton Ribeiro, mas este tirou muito do arqueiro e mandou a bola para fora.

Na volta para o segundo tempo o Flamengo viu o Vélez voltar a ficar em vantagem logo aos oito minutos. Galdames cobrou escanteio, Gianetti tocou de cabeça e ajeitou para o complemento de Janson marcar seu segundo gol no jogo.

Mas o clima de tensão durou pouco e o Flamengo empatou aos 15 minutos. Gabigol tentou se livrar de Hoyos e foi derrubado pelo goleiro. O árbitro Wilmar Roldán deu corretamente o pênalti, convertido pelo próprio artilheiro.

Aos 18 minutos Arrascaeta perdeu boa chance, ao chutar para fora de dentro da área em complemento de cruzamento de Everton Ribeiro. Aos 30 foi a vez de Gabigol voltar a assustar o goleiro em chute de fora da área. Mas a bola foi para fora. No lance seguinte o arqueiro operou um milagre em chute do artilheiro.

A virada estava madura e ela veio aos 34 minutos. Em meio a uma polêmica sobre a sua permanência no clube, De Arrascaeta fez um golaço em chute de fora da área e colocou o Rubro-Negro em vantagem.

A situação do Flamengo ficou mais fácil aos 41 minutos quando Mancuello, que tinha acabado de entrar, foi expulso por uma entrada violenta em Gabigol.

As duas equipes voltam a campo pela Copa Libertadores já na próxima semana. Na terça-feira o Rubro-Negro recebe o La Calera do Chile no Maracanã, às 19h15(de Brasília). Já o Vélez, no mesmo dia, visita a LDU em Quito. Antes disso, no sábado, às 19h(de Brasília), o Flamengo encara o Volta Redonda pelo Campeonato Carioca.

FICHA TÉCNICA
VÉLEZ SARSFIELD-ARG 2 X 3 FLAMENGO-BRA

Local: Estádio José Amalfinati, em Buenos Aires, na Argentina
Data: Terça-feira, 20 de abril de 2021
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Wilmar Navarro (COL) e Miguel Roldán (COL)
Cartões amarelos: Santiago Cáseres, Juan Lucero, Lucas Hoyos, Galdames e Thiago Almada (Vélez) e Gustavo Henrique, Diego Alves, Gabriel Batista e Bruno Henrique (Flamengo)
Cartões vermelhos: Mancuello (Flamengo)
Gols:
VÉLEZ SARSFIELD: Lucas Janson aos 20 minutos do 1º Tempo e Lucas Janson aos 8 minutos do 2º Tempo
FLAMENGO: Willian Arão aos 43 minutos do 1º Tempo e Gabigol aos 15 e Arrascaeta aos 36 minutos do 2º Tempo

VÉLEZ SARSFIELD: Lucas Hoyos, Miguel Brizuela (La Fuente), Lautaro Gianetti e Luis Abram; Tomás Guidara (Monzón), Pablo Galdames, Santiago Cáseres (Bouzat), Thiago Almada (Lucas Orellana) e Francisco Ortega (Mancuello); Lucas Janson e Juan Lucero
Técnico: Mauricio Pellegrino

FLAMENGO: Diego Alves, Isla, Willian Arão, Gustavo Henrique (Bruno Viana) e Filipe Luís; Diego Ribas, Gerson (Hugo Moura) e Arrascaeta; Everton Ribeiro (Vitinho), Gabigol e Bruno Henrique (Pedro)
Técnico: Rogério Ceni

Fonte: Gazeta Esportiva

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat