Siga as Redes Sociais

Esporte

Ramón Díaz deixa o Botafogo sem estrear; Eduardo Barroca é o novo técnico

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Gabriel Baron/Botafogo

A trajetória de Ramón Díaz como técnico do Botafogo durou menos de um mês — e nem teve uma estreia oficial. Nesta sexta-feira, o clube informou que o argentino e sua comissão estão de saída. Eles serão substituídos por Eduardo Barroca, que passou pela equipe principal alvinegra em 2019.

O fim do ciclo de Ramón, embora optado pelo clube, se dá em razão dos problemas de saúde enfrentados pelo treinador. Ele foi submetido a uma cirurgia no último dia 14, cuja necessidade já era conhecida no momento da assinatura do contrato. Mas, por conta do adiamento da previsão de alta para o próximo dia 7, “o clube entende que não pode mais esperar”.

Em meio à mudança de comando, o Botafogo vive momento delicado no Campeonato Brasileiro. Com 20 pontos, o alvinegro é hoje o penúltimo colocado, com cinco pontos a menos que o Sport, primeiro time fora da zona de rebaixamento para a Segunda Divisão. O próximo compromisso do time pela competição será no dia 5, contra o Flamengo.

Leia a nota oficial do Botafogo:

O Botafogo de Futebol e Regatas comunica que o técnico Ramón Díaz e toda a sua equipe de auxiliares estão de saída do Clube. Lamentavelmente, em função do quadro de saúde do treinador argentino, que agora tem alta prevista para a partir do dia 7/12, o Clube entende que não pode mais esperar.

O Botafogo confia no pleno restabelecimento da saúde de Ramón Díaz, agradecendo a ele e seus auxiliares Emiliano Díaz, Osmar Ferreyra, Jorge Pidal, Damián Paz e Juan Nicolás Rommannazi pelo período em que estiveram no Clube.

O Departamento de Futebol Profissional informa que Eduardo Barroca é o novo técnico da equipe. O profissional retorna ao Botafogo após passagem na equipe principal, em 2019, e um trabalho reconhecido por conquistas importantes nas categorias de base. Barroca chega acompanhado por Felipe Lucena (auxiliar técnico) e Anderson Nunes (preparador físico). O novo comandante inicia as atividades neste sábado.

Fonte: Extra

Futebol

Avião com presidente e jogadores do Palmas Futebol e Regatas cai logo após decolar; 6 pessoas morreram

Avatar

Publicado

em

Um avião com parte da equipe do Palmas Futebol e Regatas, time da Série D, caiu na manhã deste domingo (24), pouco após decolar, no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional (TO). Um vídeo feito no local do acidente mostra a aeronave em chamas logo após a queda.

Quatro jogadores, o presidente da agremiação, Lucas Meira, de 32 anos, e o piloto da aeronave morreram.Os atletas que morreram são Lucas Praxedes, de 23 anos; Guilherme Noé, de 28 anos; Ranule, de 27 anos e Marcus Molinari, de 23 anos. O piloto foi identificado como comandante Wagner Machado.

A equipe enfrentaria o Vila Nova pela Copa Verde em Goiânia. A partida estava programada para esta segunda-feira (25). O Vila Nova emitiu nota lamentando o acidente e informando que vai colaborar para o adiamento da partida. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou que o jogo está adiado e não tem nova data para acontecer.

Imagens feitas no local mostram que a aeronave ficou completamente destruída com o choque. Além do IML e dos Bombeiros, equipes da Polícia Militar estão no local prestando apoio.O presidente do time, Lucas Meira, chegou a ser candidato a vice-prefeito de Palmas na chapa da vencedora das eleições Cinthia Ribeiro (PSDB). Ele acabou deixando a coligação alegando motivos pessoais. A prefeita emitiu nota lamentando o acidente e se solidarizando com as famílias.

Fonte: G1

Continue Lendo

Esporte

Médico falsificou a assinatura de Maradona para obter histórico clínico, apontam investigadores

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Em meio à investigação da causa da morte de Diego Maradona, a Procuradoria da Argentina confirmou nesta sexta-feira que o médico pessoal dele, Leopoldo Luque, falsificou a assinatura do craque argentino para obter seu histórico clínico, após análise caligráfico da assessoria pericial. As autoridades apuram a possibilidade de homicídio culposo. 

O documento analisado foi um pedido de histórico clínico do dia 1 de setembro de 2020, endereçado à Clínica Olivos, de Buenos Aires. Os investigadores encontraram essa folha e outras duas com rascunhos semelhantes à assinatura de Maradona durante uma busca na casa de Leopoldo Luque. Os promotores de San Isidro, responsáveis pela investigação, já estão com o resultado da perícia caligráfica em mãos. 

Na Argentina, o histórico clínico de uma pessoa só pode ser entregue ao paciente ou com uma autorização do mesmo.

Essa falsificação de assinatura de Diego Maradona acrescenta outro elemento ao contexto de irregularidades que se suspeita ter existido nos cuidados com a saúde do falecido craque. Há a possibilidade também disso impactar a disputa pela herança dele, já que se poderia colocar em dúvida outros papéis já assinados pelo ex-jogador. 

O histórico clínico é parte fundamental nas investigações e será revisado a partir do fim deste mês, segundo o “Clarín”. Os investigadores ainda não recolheram todo o material sobre o passado médico do argentino. Mas já coletaram, por exemplo, o celular da psiquiatra Agustina Cosachov, outra responsável pelos cuidados de Maradona. 

Diego Armando Maradona morreu no dia 25 de novembro do ano passado, duas semanas depois de ser submetido a uma cirurgia na Clínica Olivos para a retirada de um hematoma no cérebro. A autópsia determinou que ele faleceu como consequência de um “edema agudo no pulmão secundário a insuficiência cardíaca crônica exacerbada” e descobriu “cardiomiopatia dilatada” em seu coração.

As investigações giram em torno de três pontos principais: se houve negligência médica, logo, um eventual “homicídio culposo”; quem foi responsável por esse possível delito; e se a morte de Maradona poderia ter sido evitada.

Fonte: GE

Continue Lendo

Futebol

Flamengo vence o Palmeiras e sobe na tabela do Brasileirão

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto:Alexandre Vidal/Flamengo

O Flamengo, enfim, venceu um adversário que ocupa o G6 do Brasileirão, ainda que tenha sido instável no 2 a 0 sobre o Palmeiras, no Mané Garrincha, em Brasília. Independentemente, o resultado é bom sinal porque o cenário do campeonato, a oito rodadas do fim, coloca diante do rubro-negro jogos importantes contra concorrentes direitos para a conquista do Brasileirão. Além do Grêmio, que está em sexto, a tabela reserva partidas contra o líder no momento, Internacional, e o atual segundo colocado, o São Paulo.

Os gols foram de Luan, contra, e Pepê. Ao desbancar um dos finalistas da Libertadores, o Flamengo chegou ao terceiro lugar, com 55 pontos, quatro a menos que o próprio Inter. O Fla também tem um jogo a menos que os dois times que estão acima.

A vitória em Brasília premia algumas escolhas de Rogério Ceni. Em termos comportamentais e posicionais, a estratégia de marcar pressão sobre o Palmeiras foi crucial para o melhor desempenho no primeiro tempo. Na escalação, a opção de começar com Willian Arão na zaga, usando Diego e Gerson como volantes.

A lesão de Rodrigo Caio, com meia hora de jogo, é notícia ruim para a continuidade do Brasileirão. Nessa aí, Ceni precisou recorrer a Gustavo Henrique. Mesmo assim, o time chegou ao segundo jogo seguido sem levar gols. Pela primeira vez nesta Série A.

Na frente, o enredo do Flamengo foi criar chances, mas pecar nas finalizações – especialmente com Gabigol. A vantagem só nasceu por causa de uma trapalhada entre os zagueiros palmeirenses. No afã de afastar da pequena área, Kuscevic chutou a bola em cima de Luan e ela voltou para o gol. Contra.

No segundo tempo, o Palmeiras ficou mais compacto e se lançou à frente. O Flamengo perdeu o ímpeto físico e o domínio de território. Os riscos foram inevitáveis. Gabriel Menino, por exemplo, teve uma chance claríssima, praticamente na marca do pênalti. Errou, assim como fizera Willian Bigode ainda aos quatro minutos de partida. Erros que custaram caro. 

Outra convicção de Rogério Ceni envolve o meia Pepê. O jogador de 23 anos passou a entrar mais nas partidas quando o treinador chegou ao clube. Contra o Palmeiras, ele aproveitou uma bola que sobrou na área após jogada pelo alto e trouxe tranquilidade ao fazer o segundo gol. 

– Fiquei praticamente um ano e meio só treinando. É uma vitória importantíssima para a gente, que coloca a gente na briga pelo título mais forte ainda – disse Pepê.

O próximo desafio do Flamengo é contra o Athletico, domingo. Bruno Henrique é desfalque porque levou o terceiro cartão amarelo.

Fonte: Extra

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat