Siga as Redes Sociais

Mundo

Homem é acusado de abusar e manter seus filhos em cativeiro por quase uma década

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Investigadores ingressam na fazenda onde Van Dorsten manteve seis de seus filhos reféns Foto: Youtube / Reprodução

Um homem holandês enfrenta acusações de abuso sexual após manter seis de seus nove filhos em cativeiro por quase uma década, segundo a Procuradoria da Holanda. Gerrit-Jan van Dorsten, de 67 anos, dizia para seus filhos que “espíritos ruins” entrariam em seus corpos se eles falassem com estranhos.

Van Dorsten e cinco de seus filhos, já adultos, foram encontrados em uma fazenda em Ruinerworld, no norte da Holanda, após um sexto irmão conseguir escapar. O jovem ingressou em um bar local, cujos frequentadores alertaram a polícia.

Van Dorsten é acusado de abuso infantil, lavagem de dinheiro, além de manter seus filhos em cativeiro. Ele disse para as crianças que a morte de sua mãe, em 2004, era culpa deles por terem tido contato com o mundo exterior.

Para justificar atos de abuso sexual, Van Dorsten dizia para as crianças que o espírito de sua mãe ou de “outra mulher espiritual” havia entrado em seus corpos.

Entre 2007 e o ano passado, quando o caso veio à tona, Van Dorsten também limitou o acesso de seus filhos à comida, bebidas e tratamento médico. Os seis caçulas nunca foram frequentaram a escola ou foram registrados, como a lei holandesa obriga. As alegações de abuso foram reiteradas por vários diários mantidos por Van Dorsten ao longo dos anos.

— As punições consistiam em espancamentos, às vezes com pedaços de madeira ou outros objetos, puxões de cabelo e, às vezes, forçá-las a sentar em uma banheira gelada por horas. Às vezes, elas eram asfixiadas a ponto de perderem a consciência — disse a procuradora Diana Roggen.

As seis crianças mais novas foram mantidas em reclusão desde o nascimento e separadas de seus irmãos mais velhos. Uma das filhas, de 15 anos, foi enviada para outra cidade enquanto seu irmão, de 12 anos, foi forçado a morar sozinho em um trailer.

Os três filhos mais velhos haviam saído de casa antes da reclusão começar, mas dois deles vieram a público com acusações de abuso sexual contra o pai, que ocorreram quando eram adolescentes. Eles dizem defender as acusações criminais contra Van Dorsten, enquanto os cinco filhos as rejeitam.

Segundo os promotores, os caçulas passam por acompanhamento psicológico e estão vem, na medida do possível. Todos eles já têm mais de 18 anos.

Van Dorsten sofreu um derrame cerebral em 2018 que o incapacitou de falar — por isso, não teve condições de participar da pré-audiência que aconteceu na cidade de Assen. Seus filhos acompanharam os procedimentos remotamente, mas poderão depor em etapas posteriores.

Um segundo suspeito, Josef Brunner, foi acusado de colocar em risco o bem-estar de outras pessoas e de auxiliar Van Dorsten a manter seus filhos em cativeiro. O austríaco, que pagava pelo aluguel da fazenda onde os reféns eram mantidos, nega sua participação e diz que é alvo de uma “caça às bruxas”.

Fonte: Extra

Mundo

Brasil é o país das Américas com mais mortes por Covid em relação à população

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Brasil passou Estados UnidosMéxico e Peru nas últimas duas semanas e se tornou o país com mais mortes por Covid-19 do continente americano em relação à sua população, apontam dados do “Our World in Data”. 

Brasil tem atualmente 1.756 óbitos por milhão de habitantes e ultrapassou o México no dia 7 de abril, o Peru no dia 13 e os EUA no dia 14. Os 10 países com mais óbitos proporcionais das Américas são: 

  1. Brasil: 1.756 mortes a cada 1 milhão de habitantes
  2. Peru: 1.722
  3. EUA: 1.713
  4. México: 1.646
  5. Panamá: 1.434
  6. Colômbia: 1.342
  7. Chile: 1.317
  8. Argentina: 1.310
  9. Bolívia: 1.083
  10. Equador: 1.003

Em termos absolutos, os EUA são o país com mais vítimas da Covid-19 do mundo (567 mil), seguido de Brasil (373 mil) e México (212 mil). 

Na semana passada, com a piora da pandemia na América do Sul, o mundo atingiu a triste marca de 3 milhões de mortes por Covid-19. 

A situação tem piorado na região principalmente devido ao Brasil, e a América do Sul é atualmente a região que mais registra mortes causadas pelo novo coronavírus no mundo, à frente da Europa.

Até começo de fevereiro, quando registrava cerca de 1 mil mortes por dia (um terço do que registra atualmente), o Brasil era o 7º do continente em óbitos proporcionais. Além de EUAMéxico Peru, o país também estava atrás de PanamáColômbia Argentina

O país tinha também uma média de novas vítimas da Covid-19 em relação à sua população inferior à de EUAMéxicoPeruPanamá Colômbia

Com a escalada de mortes no país, que chegou a passar de 4,2 mil em um único dia, o Brasil viu a média de mortes passar de cerca de 5 vítimas do novo coronavírus a cada 1 milhão por dia em meados de fevereiro para cerca de 13 atualmente. 

Agora, além de liderar a triste marca nas Américas, o Brasil é também o 13º país com mais mortes proporcionais do mundo. Os 20 países com mais óbitos proporcionais do mundo são: 

  1. República Tcheca: 2.654 mortes a cada 1 milhão de habitantes
  2. Hungria: 2.606
  3. San Marino: 2.563
  4. Bósnia e Herzegovina: 2.373
  5. Montenegro: 2.275
  6. Bulgária: 2.186
  7. Macedônia do Norte: 2.132
  8. Bélgica: 2.048
  9. Eslováquia: 2.034
  10. Eslovênia: 2.000
  11. Itália: 1.933
  12. Reino Unido: 1.878
  13. Brasil: 1.756
  14. Peru: 1.722
  15. Estados Unidos: 1.713
  16. Portugal: 1.661
  17. México: 1.646
  18. Espanha: 1.646
  19. Polônia: 1.639
  20. Croácia: 1.598

Desde o começo de fevereiro, o Brasil passou no ranking proporcional diversos países que sofreram com ondas muito fortes de Covid-19, como PortugalEspanhaFrança Suécia.

Fonte: G1

Continue Lendo

Mundo

Em missa, padre anuncia paixão por mulher: ‘quero tentar viver esse amor’

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

“Meu coração se apaixonou”: com estas palavras, o padre Riccardo Ceccobelli, sacerdote da diocese de Todi, no centro da Itália, anunciou que pendura a batina por amor.

“Meu coração se apaixonou. Nunca tive a possibilidade de trair as promessas que fiz, mas quero tentar viver esse amor”, disse o padre Riccardo a seu superior, o bispo Gualtiero Sigismondi, segundo um comunicado da diocese.

O padre, que contou sua história à imprensa nesta terça-feira, dia 13, foi suspenso do serviço e iniciou os trâmites para voltar ao estado laico, segundo a mesma fonte.

“Agradeço a dom Riccardo por todo serviço prestado até agora. E, em primeiro lugar, envio-lhe meus mais sinceros votos para que esta decisão, tomada em plena liberdade como ele mesmo me disse, garanta-lhe paz e serenidade”, declarou o bispo Sigismondi.

O padre confessou que a decisão foi difícil, porque ama e respeita a Igreja.

“Não consigo ser coerente, transparente e correto com (a Igreja) como tenho sido até agora”, reconheceu, segundo o comunicado.

A “confissão” em público, diante de sua congregação e de seu bispo, foi feita durante a missa dominical.

Segundo o jornal “Il Corriere della Sera”, “todo mundo sabia” em sua cidade, perto de Perugia, que Riccardo estava com uma mulher. A identidade dela, porém, não foi divulgada.

Fonte: AFP

Continue Lendo

Mundo

Bolsonaro avalia anunciar aumento de verba para o Meio Ambiente em cúpula de Biden

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: JIM WATSON/AFP via Getty Images

O governo Jair Bolsonaro avalia anunciar o aumento da verba destinada ao Ministério do Meio Ambiente durante a Cúpula de Líderes sobre o Clima, organizada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, entre os dias 22 e 23 de abril.

Em carta enviada a Biden nesta quarta-feira (14), Bolsonaro se comprometeu a acabar com o desmatamento ilegal no Brasil até 2030, mas o governo americano pressiona por medidas concretas que mostrem o caminho para atingir essa meta e pede resultados parciais ainda neste ano.

Segundo pessoas envolvidas nas negociações, a nova alocação de recursos seria disponibilizada aos órgãos de fiscalização, como Ibama e ICMBio (Instituto Chico Mendes), que foram esvaziados sob a gestão Bolsonaro e têm relatado falta de dinheiro, inclusive para pagar contas básicas, como o deslocamento de fiscais para trabalho de campo.

O plano de aumento do aporte ainda está sendo discutido e depende da chancela do Ministério da Economia, que resiste em assumir novas despesas em meio à crise fiscal e à pandemia de Covid-19.

A necessidade de fortalecimento das agências ambientais tem sido cobrada nas conversas entre autoridades brasileiras e americanas às vésperas da cúpula. O principal argumento do governo Biden é que o Brasil precisa reforçar os órgãos que atuam de forma direta no combate ao desmatamento na Amazônia, principalmente com a previsão de retirada dos militares dessas operações, a partir de maio.

O desembarque dos militares foi oficialmente anunciado pelo governo, mas conselheiros de Bolsonaro passaram a avaliar uma nova extensão da GLO (Garantia da Lei e da Ordem), que garantiria a permanência deles nas ações, devido às dificuldades encontradas na reestruturação das agências civis de preservação.

Auxiliares de Bolsonaro afirmam que aumentar o orçamento da pasta -que sofreu cortes nos últimos anos- pode ser a sinalização aos EUA de que o Brasil está comprometido com a agenda ambiental, apesar de a política do Planalto ser vista como negligente por movimentos pró-conservação.

Fonte: Folhapress

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat