Siga as Redes Sociais

Mundo

Guaidó convoca novas manifestação contra Maduro

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

O autoproclamado presidente interino Juan Guaidó postou logo cedo nesta quarta-feira (1º) uma mensagem no Twitter instando os opositores de Nicolás Maduro a saírem às ruas novamente na Venezuela no Dia do Trabalhador. “Seguimos com mais força que nunca”, diz.

A tentativa de novas mobilizações vem na sequência de um dia de distúrbios na Venezuela, em especial na capital Caracas, onde Guaidó tentou liderar um levante militar. A ONG Foro Penal contabilizou 119 detidos pelo país.

Apoiadores de Maduro também já começam a se mobilizar. Um grupo fez vigília diante do palácio presidencial de Miraflores. A milícia bolivariana, formada por ex-militares e civis treinados para defender a revolução chavista também estava postada perto da sede do governo, conforme indicam fotos da agência AFP.

Integrantes da milícia bolivariana desfilam diante do Palácio Presidencial de Miraflores nesta quarta-feira (1º), em apoio o governo de Nicolás Maduro — Foto: AFP/Yuri Cortez

Na terça-feira (1º), o presidente autoproclamado apareceu com outro líder oposicionista, Leopoldo López, que estava em prisão domiciliar, e um grupo de soldados desertores, perto da base aérea La Carlota, considerada estratégica para a Venezuela, nas primeiras horas da manhã.

O líder oposicionista afirmava que conquistou o apoio dos militares venezuelanos, o que o regime chavista rechaçou. Houve confronto, e dezenas de pessoas ficaram feridas – a imprensa local cita 57.

A ONG Provea afirma, ainda, que um homem de 24 anos, identificado como Samuel Enrique Méndez, morreu na terça-feira durante protestos ocorridos no estado de Aragua. 

A informação não foi confirmada por fontes oficiais, mas um deputado oposicionista postou em rede social um vídeo que mostra um grupo de jovens andando por uma rua carregando o corpo que seria de Samuel, cantando o hino nacional venezuelano.

Fonte: G1

Comente

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

‘Perdemos agora o Peru’, diz Bolsonaro sobre provável eleição de Castillo

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Getty Images


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou, nesta quarta-feira (9), o provável novo presidente do Peru, Pedro Castillo, que lidera a contagem de votos nas eleições no país vizinho.

Em um culto, Bolsonaro disse que “só um milagre” para reverter a vitória de Castillo e o chamou de “um cara do Foro de São Paulo”.

“Perdemos agora o Peru. Voltou, pelo que tudo indica –falta 1% de apuração lá, só um milagre para reverter– vai reassumir um cara do Foro de São Paulo. Olha a nova Constituição do Chile. Nós estivemos na beira do abismo”, disse o presidente em Anápolis (GO).

O Foro de São Paulo é uma organização que reúne partidos de esquerda da América Latina e atualmente é demonizada pela direita ligada a Bolsonaro.

Castillo declarou-se vencedor da eleição na noite desta terça. Da varanda do comitê de seu partido, o Perú Libre, no centro de Lima, o candidato de esquerda afirmou que o “povo falou” e que, “de acordo com o relatório de nossos fiscais, já temos o resultado”.

“Vimos que o povo impôs essa vitória por meio das urnas. Por isso, peço a vocês para não caírem em provocações.”

Com 99,82% das urnas contabilizadas, a vitória de Castillo parece irreversível, já que ele ostenta 50,2% dos votos, enquanto Keiko Fujimori, de direita e filha do autocrata Alberto Fujimori, tem 49,8%. Ainda assim, o Júri Nacional de Eleições não fez nenhum pronunciamento oficial confirmando o resultado e espera a chegada de votos depositados no exterior, de países como Chile e Brasil.

Apesar de os votos no exterior favorecerem Keiko, apenas uma parcela deles ainda depende de computação, o que torna improvável uma virada.

Ao mencionar a constituinte no Chile, Bolsonaro fez referência à derrota de candidatos da direita no pleito no país, que conquistaram menos de um terço dos assentos.

Nesta quarta em Anápolis, Bolsonaro também criticou os governos de esquerda na Venezuela e na Argentina, embora não tenha citado os líderes dos dois países nominalmente.

A Venezuela é governada pelo ditador chavista Nicolás Maduro, enquanto a Argentina é presidida pelo peronista Alberto Fernández.

Os dois governantes já foram criticados em outras ocasiões por Bolsonaro.

“Olha para onde foi a nossa Venezuela quando se começou a acreditar nas coisas fáceis. Um país riquíssimo, como a Venezuela, em petróleo e ouro. Olha para onde eles foram, tendo em vista a ideologia que seguiram. Olhem para onde esta indo a nossa Argentina, só uma milagre para salvar a Argentina”, disse.

Fonte: Folhapress

Continue Lendo

Mundo

EUA doará 500 milhões de doses de vacinas da Pfizer a 100 países

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Bloomberg via Getty Images

A administração Biden chegou a acordo com a Pfizer e a BioNTech para comprar 500 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 e oferecê-las a cerca de 100 países nos próximos dois anos, avança o The New York Times.

O acordo estabelecido deve ser anunciado esta quinta-feira por Joe Biden. 

Albert Bourla, CEO da Pfizer, deve surgir ao lado de Biden quando o presidente dos Estados Unidos fizer o anúncio. 

As primeiras 200 milhões de doses vão ser distribuídas ainda este ano, e as restantes 300 milhões de doses vão ser distribuídas no próximo ano.

Pressionado para fazer mais face à escassez global de vacinas para enfrentar a pandemia, o presidente norte-americano já tinha dado pistas sobre uma estratégia de vacinação à escala global esta quarta-feira.

“Tenho uma e vou anunciá-la”, afirmou Biden antes de embarcar no Air Force One para a sua primeira visita no exterior. A primeira escala de Biden será a Cornualha, onde vai decorrer a reunião do G-7. 

Ainda assim, estes 500 milhões de doses de vacinas ficam aquém dos 11 bilhões que a Organização Mundial de Saúde estima serem necessários para vacinar o mundo. Mas excede de forma significativa a quantidade com a qual os Estados Unidos tinham se comprometido para ajudar na vacinação global. 

Fonte: Notícias ao Minuto

Continue Lendo

Mundo

Caso Madeleine: polícia alemã apura declaração de vidente sobre local onde corpo estaria enterrado

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: HANDOUT / METROPOLITAN POLICE / AFP

Em meio a investigação sobre a morte de Madeleine McCann, desaparecida desde 2007, a polícia federal alemã pretende apurar declarações do vidente Michael Schneider, de 50 anos, que disse ter conhecimento de que o corpo da menina teria sido enterrado em um bosque próximo da Praia da Luz, em Portugal, onde a menina foi vista pela última vez. Em entrevista ao jornal britânico Sunday People, Schneider afirmou que repassou as informações para as autoridades e teve a confirmação de que elas serão “incorporadas de forma adequada ao trabalho”.

Procurado pelo jornal, o promotor alemão Hans Christian Wolters, responsável pelo caso, confirmou que alegações de videntes já fizeram parte de investigações anteriores. Sem citar Schneider, disse que os agentes não ignoram a ajuda, mas são cautelosos.

— Vários videntes já responderam solicitações para nos ajudar no passado e outros ofereceram assistência. Em alguns casos, também recebemos pistas concretas. Não os ignoramos, mas somos cautelosos — afirmou.

Schneider já trabalhou como repórter em uma emissora de TV e é conhecido no país. Ele afirma já ter atuado nas buscas por outras pessoas desaparecidas e disse ter ficado satisfeito por ser levado a sério pelos investigadores.

— Estou feliz porque o BKA  (A polícia federal alemã) parece me levar-me a sério. Muitas vezes, tenho a reputação de ser uma aberração ou de tentar extorquir dinheiro às pessoas e isso me magoa. Eu nunca aceito dinheiro. Não divulgo as minhas informações levianamente e sem me questionar constantemente. Tenho consciência da responsabilidade — ressaltou.

Desde junho do ano passado, o alemão Christian Brueckner foi apontado como principal suspeito do sequestro. Embora o corpo nunca tenha sido encontrado e Brueckner não tenha confessado o crime, o promotor Hans Christian Wolters afirmou em maio que existem “provas concretas” de que a menina foi morta no país onde desapareceu.

O advogado de Brueckner, Friedrich Fulscher, insiste que o cliente não tem relação com o caso Madeleine. Criminoso sexual com várias condenações, incluindo por abuso sexual de crianças, ele viveu no Algarve entre 1995 e 2007 e roubou hotéis e apartamentos de veraneio, além de comercializar drogas, segundo a polícia alemã.

A polícia britânica ainda trata o registro como um desaparecimento. Em entrevistas, os pais da vitima, Kate e Gerry McCann também têm esperança de que será possível encontrar a vítima.


Madeleine desapareceu de seu quarto no Hotel Ocean Club durante férias da família enquanto seus pais jantavam com amigos. O desaparecimento desencadeou uma busca internacional e levou a diversas pistas, que se revelaram falsas ao longo dos anos.

Fonte: Extra

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat