Siga as Redes Sociais

Mundo

Religioso afirma que câncer em bebê é culpa de mães lésbicas

Redação Encarando

Publicado

em

As mães adotivas da pequena Callie Junem, de 1 anos e 6 meses, estão fazendo uma campanha na internet na tentativa de arrecadar dinheiro para o tratamento de um neuroblastoma na menina, câncer nas glândulas adrenais muito agressivo.

Porém, Tiffany e Albree Shaffer afirmam que um homem, Bren Marie, desistiu de fazer uma doação de R$ 29 mil após descobrir que as duas são casadas. O religioso ainda fez uma postagem nas redes sociais no qual atacou as mulheres, dizendo que a doença da criança era culpa da orientação sexual delas.

“Minhas orações para Callie. Eu ia doar R$ 29 mil para seu tratamento, mas eu descobri que suas mães são lésbicas. Então, eu decidi doar para outro lugar. Desculpe. Eu ainda vou rezar por ela, mas eu acho que o câncer dela é um jeito de Deus chamar a atenção de vocês para o fato de que ela deve ter um pai e uma mãe e não duas mães”, escreveu ele.

O casal não se calou diante da acusação e, também pelas redes, mostrou sua indignação. “Minha filha está muito doente, ela corre risco de vida… E então alguém vem e nos diz isso. Essa é uma atitude nojenta. Se você não concorda com a forma como nossa família é, guarde para você, não diga nada! O que a Callie precisa é de amor e apoio, não ódio!”, responderam as duas, ante o comentário homofóbico.

Callie terá de passar por sessões de quimioterapia por 18 meses. Além disso, a garota precisa de um transplante de medula, bem como uma cirurgia para a remoção do tumor. A campanha, até agora, já conseguiu reunir o equivalente a R$ 190 mil. Para ajudá-la, basta acessar este site.

Fonte: Metrópoles

Mundo

Em debate confuso, Trump e Biden trocam acusações pessoais e expõem discordâncias

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Reprodução/GloboNews

Faltando 35 dias para as eleições presidenciais dos Estados Unidos, Donald Trump e Joe Biden discutiram acaloradamente nesta terça-feira (29) no primeiro debate.

Falando muito, Trump quase não deu espaço para o adversário, interrompendo inclusive o moderador e tornando difícil a distribuição do tempo. O presidente foi o primeiro a ser questionado, tendo que responder por que indicou Amy Coney Barrett para a Suprema Corte a pouco mais de um mês para a eleição presidencial.

“Não fui eleito para três anos, fui eleito para quatro”, justificou Trump, embora em 2016 seu próprio partido tenha barrado uma indicação de um juiz feita em março por Barack Obama – sob a alegação de que ela não poderia ser feita em ano de eleição presidencial.

Biden afirmou que a nomeação não deveria ser feita neste momento porque a eleição já está em andamento, uma vez que a votação por correio já foi iniciada em alguns estados.

Saúde

A conversa então foi direcionada para a área de saúde e a promessa de Trump de encerrar o Obamacare, lei que estabelece uma ampliação do acesso ao serviço de saúde, mas que é contestada pelos republicanos. Biden disse que Barrett acredita que o Obamacare “não é constitucional”. Segundo o democrata, colocar a juíza na Suprema Corte é a forma de Trump entregar sua promessa de campanha.

Foi então que Trump acusou o candidato democrata de ser aliado da esquerda radical, uma estratégia antecipada por sua equipe. “Seu partido quer adotar a medicina socialista”, acusou, sendo rebatido pelo adversário.

A troca de farpas aumentou quando o o coronavírus foi discutido, com Trump insistindo que a imprensa quer prejudicá-lo com uma imagem negativa, embora até mesmo governadores democratas elogiem suas iniciativas no combate à pandemia. Biden chegou a rir da afirmação.

Com mais de 7 milhões de casos e 200 mil mortes, os Estados Unidos são o país com o maior número de infecções e óbitos por Covid-19 em todo o mundo.

Ainda assim, o presidente tentou comparar a crise com a epidemia de gripe suína de 2009, que, segundo ele, foi enfrentada de forma desastrosa por Obama. Em resposta, seu adversário lembrou que a gripe suína matou 14 mil americanos, em comparação com as 200 mil mortes da Covid-19.

Em determinado momento, Biden se irritou e chegou a pedir para que Trump se calasse para que ele pudesse falar: ‘Você vai calar a boca, homem?’. Este, porém, não foi seu primeiro momento de irritação.

“Quando ainda discutiam planos de saúde, Biden chegou a chamar o presidente de palhaço: “Tudo que ele está dizendo até agora é simplesmente mentira. Todo mundo sabe que ele é um mentiroso… você tem alguma ideia do que este palhaço está fazendo?”

Trump também não ficou atrás e lançou provocações, respondendo às críticas sobre sua atuação em relação à pandemia de coronavírus dizendo que “você não deveria falar em esperteza comigo, não há nada de esperto em você, Joe”.

Trump acusou Biden de querer manter os EUA fechados, e disse que isso iria destruir o país, enquanto o democrata afirmou que era a favor de manter medidas de segurança necessárias para evitar o aumento do número de casos e mortes causadas pelo Covid-19.

“O presidente chegou a ironizar o uso de máscaras, dizendo que muitos especialistas não recomendam a prática: “Eu não uso uma máscara como (Biden), toda vez que você o vê, ele tem uma máscara. Ele pode estar falando a 200 metros de distância e aparece com a maior máscara que eu já vi.”

Impostos

Ao falar sobre economia, o presidente foi questionado sobre seus impostos, após uma matéria do “New York Times” mostrar que ele pagou apenas U$ 750 em 2016, e Biden – que divulgou nesta terça seus impostos do ano passado – voltou a pedir que Trump faça o mesmo.

“Eu paguei milhões de dólares em imposto de renda”, disse Trump, que desmentiu o jornal, mas voltou a repetir o mesmo que diz desde 2015 – que mostrará os documentos quando “eles estiverem prontos”.

Biden disse que eliminaria os cortes de impostos feitos por Trump como estratégia para reaquecer as atividades econômicas do país e chamou o adversário de “o pior presidente que os Estados Unidos já teve”.

‘Lei e ordem’

Ao falar sobre os protestos ao redor do país e violência, Trump voltou a associar Biden à esquerda radical, dizendo que o democrata não afirmaria ser a favor da lei e da ordem, porque isso o faria perder os votos dessa ala de eleitores.

Ele também o acusou de querer tirar fundos da polícia, o que foi negado. O presidente também reafirmou que cidades governadas por democratas são mais violentas

“A violência em resposta nunca é apropriada. Nunca é apropriada. O protesto pacífico é. A violência nunca é apropriada”, afirmou Biden, que negou categoricamente que pretenda retirar financiamento de forças policiais.

“A conversa foi levada a uma discussão sobre racismo, e o moderador lembrou que, durante protestos contra supremacistas brancos em Charlottesville, em 2017, Trump afirmou que havia “boas pessoas dos dois lados”. Wallace pediu então, que o presidente condenasse os grupos de extrema-direita e supremacistas brancos, como já fez com a extrema-esquerda e o movimento Antifa em várias oportunidades.

Trump não condenou diretamente, apenas disse: “Proud Boys (grupo de supremacistas), recuem e fiquem na sua”. E prosseguiu: “Mas, vou lhe dizer uma coisa, alguém tem que fazer algo sobre a Antifa e a esquerda porque isso não é um problema de direita, é um problema de esquerda”.

Em uma última tentativa de ligar Biden à esquerda radical, Trump disse que o plano ambiental do democrata era o “Green New Deal”, apoiado por políticos como Bernie Sanders, mas Biden respondeu que “Não apoio o Green New Deal. Apoio o plano Biden que apresentei.”

“Ele citou ainda o Brasil: “As florestas tropicais no Brasil estão sendo destruídas”, disse, e sugeriu “consequências econômicas” ao país caso este não cumpra com metas de preservação das florestas.

Ao final do debate, os dois mais uma vez discordaram, desta vez sobre a segurança da votação e do resultado nas eleições. Novamente Trump sugeriu que possa haver fraude, especialmente nos votos pelos correios, uma teoria que apresenta há meses, sem comprovação.

Biden o acusou de “assustar” os eleitores para tentar convencê-los a desistir de votar e pediu que todos votem. Ele garantiu que é impossível que exista uma manipulação dos resultados e disse que irá aceitar o resultado oficial, aguardando a contagem total. Enquanto isso, Trump disse que acredita ser possível que a Suprema Corte tenha que intervir.

Sem cumprimento

O primeiro dos três debates entre os dois candidatos aconteceu na Case Western Reserve University, em Cleveland, Ohio, e foi moderado por Chris Wallace, da Fox News.

O estado de Ohio é importante para os dois candidatos por ser um dos swing states, aqueles em que os eleitores não se comprometem tradicionalmente com um partido. Em 2016, Trump venceu ali, mas este ano, segundo média de pesquisas compiladas pelo site RealClearPolitics, Biden lidera, com 49% a 45,7% das intenções de voto.

O debate teve duração de 90 minutos, sem intervalos. Foram seis blocos de 15 minutos cada, divididos por assuntos, selecionados por Wallace. Não houve checagem de fatos pelo moderador.

Seguindo um acordo entre os dois partidos, devido à pandemia de coronavírus, os candidatos e o apresentador não trocaram apertos de mão, uma tradição de mais de 50 anos durante debates presidenciais, quebrada apenas por Trump e Hillary Clinton no último debate de 2016.

Eles também concordaram que Trump e Biden não precisariam usar máscaras no palco, por estarem distantes um do outro e das demais pessoas presentes no estúdio.

Próximos debates

Antes das eleições, Trump e Biden têm ainda mais dois debates: em 15 de outubro, em Miami, na Flórida, mediado por Steve Scully, do canal C-SPAN, e incluindo perguntas de eleitores que estarão na audiência; e em 22 de outubro, em Nashville, Tennessee, com mediação de Kristen Welker, da NBC News, em formato semelhante ao desta terça-feira.

Já os candidatos a vice se enfrentarão apenas uma vez. Mike Pence e Kamala Harris irão debater no dia 7 de outubro em Salt Lake City, Utah, mediados por Susan Page, do USA Today, em nove segmentos de dez minutos cada.

Fonte: G1

Continue Lendo

Mundo

Nove em 10 pacientes curados da covid-19 apresentam efeitos colaterias

Karytha Leal

Publicado

em

Nove em cada dez pacientes com novo coronavírus relataram ter experimentado efeitos colaterais como fadiga, perda do olfato ou paladar e distúrbios psicológicos depois de se recuperarem da doença, de acordo com um estudo preliminar sul-coreano.

A pesquisa ocorre no momento em que o número global de mortes pela covid-19 ultrapassou 1 milhão nesta terça-feira (29), um marco sombrio em uma pandemia que devastou a economia global, sobrecarregou os sistemas de saúde e mudou a maneira como as pessoas vivem.

Em uma pesquisa online com 965 pacientes recuperados da infecção, 879 pessoas, o equivalente a 91,1%, responderam que estavam sofrendo pelo menos um efeito colateral da doença, disse Kwon Jun-wook, autoridade da Agência de Prevenção e Controle de Doenças da Coreia (KDCA).

A fadiga foi o efeito colateral mais comum, registrado em 26,2% dos participantes da pesquisa, seguido pela dificuldade de concentração, que se manifestou em 24,6% das pessoas, disse Kwon.

Outros efeitos colaterais incluíram efeitos psicológicos ou mentais e perda do paladar ou do olfato.

Kim Shin-woo, professor de medicina interna da Escola de Medicina da Universidade Nacional Kyungpook em Daegu, buscou comentários de 5.762 pacientes recuperados na Coreia do Sul e 16,7% deles participaram da pesquisa, afirmou Kwon.

Embora a consulta tenha sido feita online por enquanto, o pesquisador-líder Kim publicará em breve o estudo com uma análise detalhada, disse ele.

A Coreia do Sul também está conduzindo para o próximo ano um estudo separado com cerca de 16 organizações médicas sobre complicações potenciais da doença por meio de uma análise detalhada envolvendo tomografias em pacientes recuperados, disse Kwon em coletiva de imprensa.

O país registrou 38 novas infecções até a meia-noite de segunda-feira (28), elevando a contagem nacional para 23.699 casos, com 407 mortes.

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo

Mundo

Pesquisadores descobrem novas lagoas subterrâneas em Marte

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: DR

A sonda Mars Express da Agência Espacial Europeia descobriu vários reservatórios de água em estado líquido sob o gelo da região polar no sul de Marte.

A descoberta foi publicada na revista Nature e fortalece as teorias a respeito da existência de um grande lago de água salgada por baixo da superfície do ‘Planeta Vermelho’, assim como à possibilidade da existência de vida.

Os investigadores italianos, liderados por Sebastian Emanuel Lauro e Elena Pettinelli, da Universidade Roma Tre, ter descobriram três novas lagoas subterrâneas usando técnicas comuns às de satélites terrestres. A maior destas lagoas tem entre 20 a 30 quilômetros e estaria rodeada por reservatórios menores de água.

Fonte: Notícias ao Minuto

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat