Siga as Redes Sociais

Mundo

Seca extrema na Coreia do Norte provoca risco de fome

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

A Coreia do Norte anunciou que a quantidade de chuvas e nevascas neste ano são as menores em 37 anos. Há poucos dias, a ONU expressou preocupação com a falta de alimentos no país.

Entre janeiro e o início de maio, a Coreia do Norte registrou apenas 54,4 mm de chuva ou neve, o menor nível desde 1982, indicou a agência KCNA, que cita uma “seca extrema”.

A Coreia do Norte é objeto de sanções por seus programas nucleares e balísticos e mal consegue alimentar normalmente seus habitantes.

País já tem problemas com alimentação

A seca deste ano pode agravar os “problemas de fome, desnutrição e saúde para milhares de crianças e mulheres grávidas ou lactantes”, advertiu a Federação Internacional da Cruz Vermelha.

De acordo com várias organizações internacionais, como a ONU e o Programa Mundial de Alimentos (PAM), as mudanças meteorológicas, embora pequenas, podem agravar consideravelmente a produção de alimentos do país.

“Quase 10,1 milhões de norte-coreanos – 40% da população – sofrem de desnutrição, de acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o PMA”.

Fonte: G1

Mundo

Rússia diz que vacina contra Covid-19 teve eficácia ‘acima de 95%’ após segunda dose

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Reprodução/Handout /Russian Direct Investment Found/AFP

A Rússia anunciou, nesta terça-feira (24), que a vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya contra a Covid-19, teve eficácia “acima de 95%” 21 dias após a segunda dose da vacina e 42 dias após a primeira dose. Os dados ainda são preliminares e não foram publicados em revista científica.

Veja os principais pontos do anúncio:

  • A eficácia da vacina foi “acima de 95%” 21 dias após a aplicação da segunda dose da vacina (42 dias após a aplicação da primeira dose).
  • Antes disso, 7 dias após a aplicação da segunda dose (e 28 dias após a primeira dose), a eficácia vista foi de 91,4%.
  • Ao todo, a análise considera dados de 18.794 pessoas vacinadas. Dessas, 14.095 receberam a vacina, em ambas as doses. As outras 4.699 receberam uma substância inativa (placebo).
  • Entre os vacinados, houve 8 casosde Covid-19 sete dias após a aplicação da segunda dose (e 28 dias após a primeira dose). Entre os não vacinados, houve 31 casos no mesmo período. Os números equivalem à eficácia de 91,4%.
  • Até esta terça (24), nenhum evento adverso inesperado havia sido identificado. Alguns dos vacinados apresentaram eventos adversos menores de curto prazo, como dor no ponto de injeção e sintomas semelhantes aos da gripe, incluindo febre, fraqueza, fadiga e dor de cabeça.
  • Assim como a vacina de Oxford, a temperatura de armazenamento da Sputnik V é de 2°C e 8°C (condições normais de refrigeração). É uma vantagem em relação à candidata da Pfizer, que precisa ser armazenada a -70ºC durante o transporte, e da Moderna, que precisa ficar a -20ºC.

Há cerca de duas semanas, a Rússia havia anunciado uma eficácia de 92% para a Sputnik V um dia após a aplicação da segunda dose (e 21 dias após a aplicação da primeira dose). 

Na prática, se uma vacina tem mais de 95% de eficácia, isso significa dizer que mais de 95% das pessoas que tomam a vacina ficam protegidas contra aquela doença. 

Vacina

A Rússia foi o primeiro país a registrar uma vacina contra a Covid-19 no mundo, em agosto. O anúncio gerou preocupação entre cientistas, entre outros motivos, por causa do anúncio dos testes de fase 3 e da vacinação em massa de forma simultânea. 

Em outubro, o país pediu aprovação do uso emergencial da Sputnik V à Organização Mundial de Saúde (OMS).

O governo russo também firmou uma parceria com o governo do Paranápara produção da Sputnik V em solo brasileiro. No mês passado, o fundo russo que financia o desenvolvimento da vacina anunciou que o Brasil poderia começar a produzi-la em dezembro. 

A Rússia anunciou, também em outubro, a sua segunda vacina candidata. A vacinação em massa da população russa com a segunda vacina está prevista para o ano que vem, de acordo com a agência de notícias estatal Tass.

Fonte: G1

Continue Lendo

Mundo

Biden vai nomear 1ª mulher para liderar a inteligência dos EUA e o 1º latino para Segurança Interna

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Reuters

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta segunda-feira (23) que vai nomear Avril Haines para ser diretora nacional de inteligência e Alejandro Mayorkas para chefiar o DHS (Departamento de Segurança Interna, em tradução livre), a primeira mulher e o primeiro latino-americano a ocuparem os respectivos cargos.

A equipe de transição de Biden anunciou outros nomes para o primeiro escalão do governo, como o de John Kerry, o ex-secretário de Estado dos EUA do governo Obama, como enviado especial do presidente para o clima; Antony Blinken como secretário de Estado; Jake Sullivan como conselheiro de Segurança Nacional; e Linda Thomas-Greenfield como embaixadora dos EUA na ONU.

A imprensa americana divulgou no domingo (22) que Antony Blinken seria indicado para o cargo de secretário de Estado, que é equivalente ao de ministro das Relações Exteriores no Brasil.

A escolha do experiente diplomata é uma decisão que pode marcar o retorno dos EUA ao multilateralismo, após o atual presidente americano, Donald Trump, ter se afastado dos aliados tradicionais do país.

Blinken, de 58 anos, é um dos principais colaboradores do democrata para política externa e foi o número dois do Departamento de Estado durante o governo de Obama, quando Biden era vice-presidente, e atuou como braço-direito de John Kerry, que será o enviado especial para o clima.

Fonte: G1

Continue Lendo

Mundo

Corpos de mortos pelo coronavírus ficam em caminhões por famílias não terem dinheiro de enterros

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Getty Images

Há 650 corpos de pessoas que morreram devido à Covid-19 que estão armazenados no interior de caminhões frigoríficos numa funerária improvisada no Brooklyn, Nova York. Muitos desses corpos são de pessoas cujos familiares não foram localizados pelas autoridades ou então de pessoas cujos familiares não têm capacidade financeira para suportar os custos dos enterros, revelou o The Wall Street Journal.

O gabinete do médico legista de Nova York indicou que está com dificuldades para encontrar os familiares de 230 pessoas que morreram. A maioria dos casos são dos familiares que foram localizados e que não podem pagar os enterros.

De qualquer das formas, e em circunstâncias normais, estas centenas de corpos seriam enterrados no espaço de poucas semanas em túmulos para os indigentes em Hart Island, de forma gratuita.

No entanto, quando em abril o número de mortes causadas pela Covid-19 disparou em Nova York (chegaram a morrer cerca de 800 pessoas em apenas um dia), o governado Bill de Blasio decidiu proibir os enterros em massa em túmulos temporários, uma medida que ainda vigora.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, já morreram mais de 34 mil pessoas em Nova York devido à Covid-19.

Fonte: Notícias ao Minuto

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat