Siga as Redes Sociais

Notícias

Resultados de testes com vacina de Oxford contra Covid-19 devem sair em setembro, diz empresa

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Dado Ruvic / DADO RUVIC

O grupo farmacêutico britânico AstraZeneca afirmou nesta sexta-feira que os resultados sobre a eficácia da vacina contra o coronavírus em que está trabalhando com a Universidade de Oxford devem sair em setembro. A fórmula candidata contra a Covid-19 será testada no Brasil e envolverá dois mil voluntários.

— Em setembro devemos saber se temos ou não uma vacina eficaz — disse à rede britânica BBC o diretor executivo da empresa, Pascal Soriot.

A Universidade de Oxford, cujo projeto é financiado pelo governo britânico, se associou ao grupo farmacêutico para fabricar e distribuir em todo o mundo a vacina que está desenvolvendo.

Os ensaios clínicos com humanos começaram no final de abril no Reino Unido e devem ser realizados este mês no Brasil, que é agora “o epicentro da epidemia”, afirmou Soriot. Na última quinta-feira, a AstraZeneca anunciou que pretende produzir mais de 2 bilhões de doses da vacina candidata, metade delas para habitantes de países em desenvolvimento.

Para ganhar tempo, foi decidido não esperar pelos resultados antes de começar a produção.

— Estamos começando a produzir esta vacina agora, tem que estar pronta para quando tivermos os resultados — destacou Soriot.

Essa estratégia representa um “risco financeiro”, mas “é a única maneira de ter uma vacina disponível” rapidamente enquanto se confirma sua eficácia, acrescentou.

AstraZeneca assinou acordos para estabelecer redes de distribuição paralelas, entre elas uma com o Instituto Serum da Índia para a entrega de um bilhão de doses aos países de baixa e média renda, a fim de dobrar a capacidade de produção para dois bilhões de doses.

Na quinta-feira, o grupo anunciou um acordo de US$ 750 milhões com duas organizações internacionais especializadas, CEPI e GAVI, para a fabricação e distribuição de 300 milhões de doses, com entrega a partir do final do ano. Um total de dez projetos de vacinas contra a Covid-19 estão na fase de ensaios clínicos em todo o mundo.

Parceria com Brasil

A instituição responsável pela articulação da pesquisa com voluntarios é a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Metade dos voluntários será vacinada em São Paulo e metade no Rio.

A Unifesp coordenará o ensaio clínico com o produto no país e diz que dentro de poucos dias deve abrir seu sistema de recrutamento de voluntários. Nesta etapa, serão selecionados apenas profissionais de saúde ou trabalhadores em atividades de alta exposição ao vírus, como equipes de limpeza de hospitais e motoristas de ambulância.

O ensaio clínico em questão é um teste de fase 3 (que avalia a eficácia do produto) para uma vacina criada a partir de um vírus que causa resfriado em chimpanzés. O patógeno foi alterado em laboratório e tornado incapaz de se reproduzir em humanos. O que o transforma numa vacina é o fragmento de uma proteína do novo coronavírus que é incorporada a ele e atua como antígeno: faz o sistema imune se preparar para a chegada do vírus real. Os testes no Reino Unido se demonstraram seguros.

Um dos motivos pelos quais o Brasil foi selecionado como local da pesquisa é o fato de a pandemia ainda estar em crescimento acelerado no país, com mais de 614 mil casos e mais de 34 mil mortes.

Fonte: Extra

Piauí

Professor morre após perder controle de motocicleta em quebra-molas no interior do Piauí

Avatar

Publicado

em

Um professor, identificado como Ranniery Antony, morreu após ter sofrido um grave acidente na noite dessa última sexta-feira (22) na Avenida José Pereira Nogueira, no município de Pimenteiras, no interior do Piauí.

De acordo com informações preliminares, Ranniery Antony estava trafegando em sua motocicleta quando acabou perdendo o controle do veículo em um quebra-molas. A vítima caiu da motocicleta e acabou falecendo.

Ranniery era formado em Biologia, Física e também ministrava aulas de química.Ranniery deixa esposa e um filho.

Continue Lendo

Brasil

China anuncia doação de cilindros de oxigênio ao Amazonas

Avatar

Publicado

em

A Embaixada da China no Brasil informou nesta sexta-feira (22) que empresas e associações chinesas vão doar 1,7 mil cilindros de oxigênio ao Amazonas.

A doação inclui também 1,9 mil quilogramas de oxigênio e outros insumos, como 360 mil máscaras e 200 cestas de alimentos. Além disso, a China também doou US$ 80 mil, equivalente a cerca de R$ 450 mil, ao Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza do Amazonas.

Os insumos foram enviados após reunião virtual do embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, com o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e os deputados federais Evair de Melo (PP/ES) e Marcelo Ramos (PL/AM). Integrantes de outras entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também participaram da conversa.

Crise no Amazonas

O Amazonas, principalmente a capital Manaus, vive desde a semana passada uma crise no abastecimento de oxigênio em hospitais e unidades de saúde, uma consequência do rápido aumento de internações por Covid-19. Pacientes que estavam em ventilação morreram em leitos por causa da falta do insumo. Dezenas precisaram ser transferidos a outros estados.

Com a escassez, houve uma mobilização que incluiu artistas para assegurar o abastecimento ao Amazonas. Além disso, a Venezuela se ofereceu para doar oxigênio: mais de 100 mil metros cúbicos do gás chegaram a Manaus na terça-feira (19).

Cientistas e médicos se preocupam com a possível proliferação mais rápida de uma nova variante do coronavírus encontrada no Japão a partir de viajantes que estiveram no Amazonas. Já houve, inclusive, um caso de reinfecção.

Fonte: G1

Continue Lendo

Teresina

Maternidade Evangelina Rosa recebe vacina contra Covid para imunizar grupos prioritários

Avatar

Publicado

em

Trabalhadores da saúde, idosos com mais de 75 anos ou a partir de 60 que vivem em asilos e a população indígena são os primeiros da fila para tomar a vacina contra a Covid-19 no Brasil. A Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER) já recebeu as primeiras doses e iniciou a vacinação dos servidores.

As doses estão sendo destinadas primeiramente aos profissionais de saúde da linha de frente no atendimento aos pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19. Já foram vacinados 130 servidores até a tarde desta última quinta-feira (21), entre médicos, enfermeiros, técnicos dos mais variados setores, fisioterapeutas, bioquímicos, serviços gerais e maqueiros.

Segundo o médico Francisco Macêdo, diretor da maternidade deve ser vacinados 495 servidores nessa primeira etapa. “Os profissionais de saúde estão no grupo prioritário da primeira fase da campanha de vacinação, conforme definido pelo Ministério da Saúde. A definição dos grupos leva em conta, entre outros fatores, o maior risco de desenvolvimento de formas graves e óbitos por Covid-19, o maior risco de infecção, a manutenção dos serviços de saúde, a capacidade de atendimento à população e a manutenção dos serviços essenciais”, explica.

Macêdo destaca que está seguindo todos os protocolos sugeridos pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e Fundação Municipal de Saúde (FMS). “A orientação foi iniciar pelas áreas específicas Covid, Unidades de Terapias Intensivas (UTI) adulta e neonatal, áreas clínicas Covid e sala de estabilização. Em seguida priorizaremos emergência, Centro Cirúrgico e laboratório. Até a próxima semana queremos finalizar a vacinação desta primeira etapa”, diz.

O diretor fala ainda sobre a expectativa de não ocorrer interrupção no envio de novas vacinas. “O ideal é que seja cumprido o cronograma de vacinação elaborado pelos órgãos responsáveis, alcançando com essa medida segurança e proteção a todos, principalmente no binômio mãe e recém-nascido que é a especialidade da MDER”, diz.

Mesmo tendo iniciado a vacinação, a MDER segue reforçando medidas preventivas contra possíveis casos de Covid-19 que venham a chegar à instituição. A unidade de saúde também foi o primeiro hospital público do Piauí a testar servidores e pacientes, afastando aqueles que positivaram e que estão no grupo de risco, dando seguimento para ala específica para pacientes positivos.

Uma das primeiras medidas adotadas, ainda em março de 2020, foi a criação de ala específica com 20 leitos para mães com a doença. Além disso, também foi criada uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) materna com 10 leitos e mais outra nova ala para filhos de mães positivas ficarem em observação, mesmo sem terem sido contaminados durante o parto.

“Graças a essas medidas e à equipe com multiprofissionais capacitados, o índice de mortalidade por Covid da Evangelina Rosa é menor que 0,5 %, uma taxa considerada exemplar” conclui Francisco Macêdo.

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat