Siga as Redes Sociais

Brasil

Prefeito de Florianópolis é preso em operação da Polícia Federal

Redação Encarando

Publicado

em

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (sem partido), foi preso na manhã desta terça-feira (18) durante a Operação “Chabu”, deflagrada pela Polícia Federal. A operação buscou desarticular uma organização que violava sigilo de operações policiais em Santa Catarina. O grupo contava com uma rede de políticos, empresários e agentes da PF e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Além de vazar informações, o grupo contrabandeava equipamentos de contra inteligência.

O prefeito da capital de Santa Catarina foi preso temporariamente por cinco dias. De acordo com informações do Notícias do Dia, parceiro da Record TV em Florianópolis, a Prefeitura afirmou que se trata de uma operação que investiga policiais. “Informações premilinares dão conta de que não há nenhum ato ou desvio de recursos públicos relacionados à Prefeitura e de que a suposta relação entre o Prefeito Gean Loureiro e os envolvidos não teria nenhuma ligação com eventuais atos.”

A administração municipal informou ainda que o prefeito concordou em prestar todas as informações necessárias, aguardando agora para prestar depoimento na Polícia Federal.”

Operação

Agentes cumprem 30 mandados, sendo 23 de busca e apreensão e sete de prisão temporária, expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Os crimes foram descobertos a partir da análise dos materiais apreendidos durante a Operação Eclipse, deflagrada em agosto de 2018.

A PF identificou que a organização criminosa teria formado uma rede de políticos, empresários e servidores da própria corporação e também da PRF lotados em órgão de inteligência e investigação.

Segundo a PF, o grupo “embaraçava investigações policiais em curso e protegia o núcleo político em troca de vantagens financeiras e políticas”.

A investigação apurou ainda que a quadrilha vazava sistematicamente informações sobre operações policiais que ainda seriam deflagradas e também contrabandeava equipamentos de contra inteligência para montar “salas seguras”, à prova de monitoramento, em órgãos públicos e empresas.

A PF investiga associação criminosa, corrupção passiva, violação de sigilo funcional, tráfico de influência, corrupção ativa e tentativa de interferir em investigação penal que envolva organização criminosa.

‘Falha’

A Polícia Federal ressaltou que o nome da operação, “Chabu”, significa “dar problema, dar errado, falha no sistema”. “O termo é utilizado em festas juninas quando falham fogos de artifício e era empregado por alguns dos investigados para avisar da existência de operações policiais que viriam a acontecer”, destacou a PF.

Fonte: R7

Brasil

Polícia volta atrás e homem detido no Paraná pode não ser suspeito do assassinato do ator Rafael Miguel

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Reprodução

A Polícia Militar do Paraná voltou atrás e não confirma a prisão de Paulo Cupertino, assassino do ator Rafael Miguel e dos pais deles em junho do ano passado, após avisar a Polícia Civil sobre a prisão na manhã desta quarta-feira (28). A PM convocou uma coletiva para esclarecer o caso. O delegado-geral de São Paulo, Ruy Fontes, enviou mandado de prisão para a polícia do Paraná.

A Polícia Militar paranaense havia informado que prendeu um homem em uma blitz em Centenário do Sul, a 400 km de Curitiba, e que o suspeito seria Paulo Cupertino. A Polícia Civil, no entanto, não confirmou a prisão. O suspeito detido estaria sendo levado para a delegacia seccional de Maringá.

Ruy Fontes afirmou que a Divisão de Capturas de São Paulo recebeu a informação da Polícia Civil do Paraná de que Paulo Cupertino tinha sido preso, com documento falso, em uma blitz de trânsito da PM em Centenário do Sul, região de Londrina. E que depois isso não foi confirmado.

A informação foi transmitida pela PM paranaense, comunicando a Polícia Civil que estava levando o preso para a delegacia. A partir dessas informações, o delegado-geral de São Paulo confirmou também para o Palácio dos Bandeirantes que Paulo Cupertino tinha sido preso e que iria mandar buscá-lo no Paraná. Mas o tal homem detido ainda não havia chegado na delegacia.

O delegado da Polícia Civil de São Paulo Nico Gonçalves disse ao Balanço Geral, da Record TV, que recebeu a informação de que o homem suspeito não é Cupertino. “A caçada continua”, disse Nico.

O delegado-geral do Paraná alertou o delegado-geral de São Paulo que a PM paranaense pode ter se equivocado.

Ainda segundo o delegado-geral, a PM e a Polícia Civil do Paraná pediram o mandado de prisão de Cupertino. O documento foi encaminhado por e-mail para oficializar a prisão. A Polícia do Paraná deve esclarecer a confusão sobre o caso ainda nesta tarde.

O delegado-geral do Paraná alertou o delegado-geral de São Paulo que a PM paranaense pode ter se equivocado.

Ainda segundo o delegado-geral, a PM e a Polícia Civil do Paraná pediram o mandado de prisão de Cupertino. O documento foi encaminhado por e-mail para oficializar a prisão. A Polícia do Paraná deve esclarecer a confusão sobre o caso ainda nesta tarde.

Fonte: R7

Continue Lendo

Brasil

Sogra de Lula morre depois de contrair Covid-19

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (28), morreu a Dona Vani Terezinha Ferreira, mãe de Rosangela Silva, esposa do ex-presidente Lula, em São Bernardo do Campo.

Segundo informações da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. paulo, Vani morava com a filha e Lula e recebia cuidados do casal.

Interlocutores do ex-presidente informaram que ela precisou ser internada para tratar de uma infecção urinária e chegou a ter alta, porém teve que voltar ao hospital apóscomplicações pulmonares e foi diagnosticada com Covid-19.

Vani chegou a ficar na UTI do Hospital das Clínicas de São Bernardo do Campo, pelo SUS, mas depois de 15 dias melhorou e saiu do isolamento. Complicações posteriores levaram a mulher a óbito, informou a colunista.

Lula e Rosangela chegaram a fazer testes para a covid-19, mas deram negativos.

Fonte: Notícias ao Minuto

Continue Lendo

Brasil

Polícia prende assassino do ator Rafael Miguel e seus pais

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

A Polícia Militar do Paraná prendeu nesta quarta-feira (28), no norte do estado, um homem suspeito de ser o comerciante Paulo Cupertino Matias, 50 anos, procurado há um ano e meio pelo assassinato do ator Rafael Miguel e os pais do jovem, em junho do ano passado, na zona sul da capital paulista. Os detalhes da prisão não foram confirmados pela Polícia Civil, nem a paulista, nem a paranaense.

A polícia paulista procurou o suspeito em dezenas de cidades, em outros estados, inclusive incluindo o nome dele na Interpol (polícia internacional), após o triplo assassinato. O crime teria ocorrido pelo fato do comerciante não aceitar o relacionamento de sua filha com Miguel, conhecido por interpretar a personagem Paçoca, da novela “Chiquititas”, do SBT.

Nesta terça-feira (27), a polícia paranaense confirmou que Cupertino fez um documento falso, em uma cidade do interior do estado.

A investigação da Polícia Civil aponta que Cupertino fez a identidade falsa em Jataizinho, cidade do interior paranaense, a cerca de 290 km da capital Curitiba. A data da realização do documento, porém, não foi informada.

Cupertino está foragido desde junho do ano passado, quando foi suspeito de ter matado o genro e os pais do ator. Em julho deste ano, o homem passou a compor a lista dos criminosos mais procurados pela polícia paulista. A polícia divulgou fotos de possíveis disfarces do suspeito.

O delegado Marcus Vinícius Michelotto, diretor do instituto de identificação do Paraná, afirmou que em agosto deste ano recebeu da Polícia Civil de São Paulo uma solicitação para que as digitais de Cupertino fossem pesquisadas no banco de dados do Paraná, isso ajudou para a identificação do documento, com nome falso, feito pelo criminoso.

O caso O ator Rafael Henrique Miguel, 22 anos, que interpretou a personagem “Paçoca” na novela infantil Chiquititas, exibida pelo SBT, e seus pais foram mortos a tiros na tarde de 9 de junho do ano passado, no bairro Pedreira (zona sul da capital paulista), quando iriam visitar a namorada do artista.

Segundo o boletim registrado pela polícia, o ator, acompanhado de seus pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, 50, foram até a casa de sua namorada para conversar com o pai dela sobre o namoro, por volta das 14h. As vítimas foram recepcionadas pela mãe e pela namorada de Miguel.

Quando a família era recepcionada, o pai da garota, um comerciante Paulo Cupertino, na ocasião com 48 anos, teria chegado com uma arma e, em seguida, atirado contra as três vítimas, que aguardavam no portão da casa do atirador. As vítimas morreram no local. Câmeras de monitoramento mostram o comerciante fugindo.

Trabalhos na TV Rafael Miguel ficou famoso em um comercial, quando pedia para a mãe comprar brócolis no supermercado. Além de “Chiquititas”, ele também fez trabalhos nas novelas “Pé na Jaca” e “Cama de Gato”, da Globo.


Fonte: Folhapress 

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat