Siga as Redes Sociais

Brasil

Bolsonaro diz que teme fuga de argentinos para o Brasil se oposição vencer

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta segunda-feira (12), em evento em Pelotas (RS), a derrota do presidente argentino Mauricio Macri nas eleições primárias no vizinho sul-americano. Bolsonaro disse que “a volta de Cristina Kirchner” colocará “a Argentina no caminho da Venezuela” e que não quer “irmãos argentinos fugindo para cá”.

Neste domingo (11), argentinos foram às urnas para as eleições primárias, que definem oficialmente quem serão os candidatos de cada partido e servem como uma espécie de pesquisa eleitoral.

Com 99,37% das urnas apuradas, Alberto Fernández, que montou chapa com a ex-presidente Cristina Kirchner como vice, teve 47,66% dos votos. Macri, candidato de direita à reeleição e que tem o apoio declarado de Bolsonaro, recebeu 32,08% dos votos.

“Povo gaúcho, se essa esquerdalha voltar aqui na Argentina, nós poderemos ter, sim, no Rio Grande do Sul, um novo estado de Roraima. E não queremos isso: irmão argentinos fugindo pra cá, tendo em vista o que de ruim parece que deve se concretizar por lá caso essas eleições realizadas ontem se confirmem agora no mês de outubro”, disse Bolsonaro.

Roraima, que faz fronteira com a Venezuela, tem recebido uma constante leva de venezuelanos que tem fugido da crise econômica, política e social que afeta o país no regime de Nicolás Maduro.

“Não se esqueçam que aqui mais ao Sul, na Argentina, o que aconteceu nas eleições de ontem. O que aconteceu nas eleições de ontem…. A turma da Cristina Kirchner, que é a mesma da Dilma Rousseff, que é a mesma de [Nicolás] Maduro e [Hugo] Chávez, e Fidel Castro, deram sinal de vida aqui.”

Em entrevista coletiva após a cerimônia em Pelotas, Bolsonaro foi questionado por jornalista sobre a declaração e o cenário político argentino.

“O que eu quis dizer com isso daí? Você [repórter que fez pergunta] deve saber o que está acontecendo com Roraima: tá recebendo um aporte muito grande de refugiados que tão fugindo da ditadura e da fome. Por quê? Dado o socialismo que deu certo com Chávez e com Maduro. A volta da Cristina Kirchner ali [na Argentina], no meu entendimento, é que estará a Argentina no caminho da Venezuela. E nós não queremos nossos irmãos argentinos fugindo pra cá”.

Macri reconhece ‘eleição ruim’

Ainda no domingo, o presidente argentino reconheceu desempenho abaixo do esperado. “Tivemos uma eleição ruim e isso nos obriga, a partir de amanhã, a redobrar nossos esforços. Dói que não tenhamos todo o apoio que esperávamos”, disse Macri.

O debate eleitoral na Argentina tem sido pautado pela recessão no governo Macri e a herança econômica do kirchnerismo (2003-2015), que incluiu a falsificação de estatísticas e denúncias de corrupção envolvendo Cristina Kirchner. Já a oposição a Macri destaca a escalada inflacionária e a degradação social no atual governo.

Bolsonaro quer PGR ‘alinhado’

Ainda na entrevista coletiva em Pelotas, Bolsonaro foi questionado se já definiu quem será o novo procurador-geral da República. O presidente deverá anunciar nos próximos dias o escolhido para comandar a Procuradoria Geral da República no lugar de Raquel Dodge.

“É uma pessoa importantíssima, é o chefe lá do MP, fiscal da lei. E nós não podemos ter um chefe do MP que não esteja alinhado com o desenvolvimento do Brasil. […] Temos problemas ambientais que o MP vem criando situações que dificulta a retomada de projetos como este […]. [Temos que ter um chefe do] MP que se preocupa em combater a corrupção, mas também estrutura, não seja um xiita ambiental, que entenda as pessoas de minoria com a importância que ela tem que ter e não supervalorizada”, disse Bolsonaro.

O cargo costuma ser ocupado por um dos indicados pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) em lista tríplice. O presidente, no entanto, não é obrigado a indicar integrantes da lista. Nos mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e nos de Dilma Rousseff, o escolhido para a PGR foi o primeiro da lista indicada pela associação.

Fim dos radares móveis

Bolsonaro disse, ainda, que pretende acabar com os radares móveis no país já na semana que vem. A operação de radares móveis nas rodovias federais cabe à PRF. Nas demais estradas, os aparelhos estão sob responsabilidade de estados e municípios.

“A partir da semana que vem, não temos mais radares móveis no Brasil”, disse o presidente, que não explicou como fará isso. Segundo ele, os radares são “uma roubalheira”.

Visita a Pelotas

Bolsonaro chegou a Pelotas nesta manhã, por volta das 10h30, para participar da cerimônia de inauguração de trechos da duplicação da BR-116. Apoiadores do presidente foram ao local e o receberam com gritos de “mito”.

Também participaram do evento os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, da Cidadania, Osmar Terra, deputados, e a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas.

Fonte: G1

Brasil

Governo do Acre decreta estado de emergência devido à estiagem e queimadas

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

O governo do Acre decretou, na manhã desta sexta-feira (23), estado de emergência devido ao período de estiagem no estado e o número de queimadas. A publicação foi divulgada no Diário Oficial do estado e o governador Gladson Cameli falou em coletiva sobre a situação das cidades.

O decreto leva em consideração a escassez de chuva, a baixa umidade relativa do ar e as queimadas. Na manhã desta sexta-feira, o rio Acre chegou a 1,55 metro.

“Os meses de agosto e setembro são historicamente de maior criticidade de ocorrência de incêndios florestais e queimadas urbanas, devido aos baixos índices de precipitação pluviométrica e fluviométrica, em consequência a baixa umidade relativa do ar e a elevada emissão de monóxido de carbono e material particulado no ar”, pontua.

O anúncio de estado de emergência ocorre uma semana depois do governo ter decretado estado de alerta ambiental – no último dia 16. Com a medida, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) pôde pedir apoio técnico e logístico do estado para combater e controlar os incêndios ambientais.

Queimadas

De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente, o número de queimadas aumentou consideravelmente, se comparado ao ano passado. De janeiro até 22 de agosto do ano passado, foram registradas 852 queimadas. Já este número saltou para 2.498 entre janeiro até 20 de agosto deste ano – um aumento de mais de 190%.

Se comparado apenas os dias de agosto o acréscimo é relevante. De 1º a 22 de agosto de 2018, foram 408 focos de queimadas, que subiram para 2.123, subindo em mais de 400% o número de registros.

Além disso, foi criada a sala de situação de alerta ambiental, comandada pela Cedec, com apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e coordenação operacional do Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBM-AC).

Contratação de brigadistas

Em abril, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles decretou emergência ambiental no Acre entre os meses de abril e novembro deste ano. Porém, esse documento autorizou ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) no Acre a contratar, temporariamente, 30 brigadista pelo período de seis meses.

Em todo país, foram 2.520 mil brigadistas temporários. Os profissionais atuam no combate de emergências ambientais durante os incêndios.

Seca histórica em 2016

O governo decretou emergência ambiental devido à forte estiagem foi na seca história registrada no estado, quando o Rio Acre, em Rio Branco, atingiu sua mínima de 1,49 metro. Em agosto de 2016, a União reconheceu a situação de emergência em nove cidades do estado devido às consequências da forte estiagem.

No decreto, as cidades de Acrelândia, Assis Brasil, Brasiléia, Bujari, Epitaciolândia, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco e Xapuri receberam recursos federais para a reconstrução da áreas degradadas.

Fonte: G1

Continue Lendo

Brasil

João de Deus deixa presídio para fazer exame devido a quedas no presídio

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

João de Deus deixou o presídio nesta sexta-feira (23) para fazer um exame em um hospital de Aparecida de Goiânia. Ele é acusado de vários abusos sexuais durante atendimento religiosos. Segundo a defesa, o procedimento foi feito após o réu reclamar de tonturas devido a quedas dentro da cadeia.

“Foi solicitada a tomografia por conta da última queda que ele sofreu agora no início desse mês e bateu a cabeça. Depois disso ele começou a sentir muitas tonturas, fraquezas, então o médico decidiu pedir para saber se foi algo vinculado à cabeça pela queda ou se pela própria deterioração do estado de saúde dele”, disse o advogado Anderson Van Gualberto de Mendonça.

O preso chegou escoltado ao Hospital São Silvestre às 9h25 para fazer uma tomografia computadorizada. Ele fez o exame e deixou a unidade cerca de 20 minutos depois.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que ainda aguarda a notificação da defesa do João de Deus sobre as reclamações que ele apresenta para que possa ter conhecimento formal e tomar as providências cabíveis.

Em julho, a Justiça determinou que o preso pudesse receber visitas médicas dentro do presídio. A DGAP disse que está obedecendo a decisão judicial e que o acompanhamento é feito com agendamento junto à instituição.

Prisão

João de Deus está preso desde 16 dezembro de 2018. Ele sempre negou que tivesse abusado sexualmente de mulheres e adolescentes que o procuravam na Casa Dom Inácio de Loyola para atendimentos espirituais.

Em março, João de Deus foi levado para um hospital de Goiânia. Ele ficou mais de dois meses internado com um aneurisma no abdômen. Por determinação da Justiça, voltou ao presídio em 6 de junho, onde está desde então.

A defesa dele vem tentando que ele seja transferido para a prisão domiciliar, mas teve o pedido negado diversas vezes. A mais recente foi no dia 8 de agosto.

Processos

Ao todo, o Ministério Público de Goiás ofereceu 11 denúncias contra João de Deus, sendo nove por crimes sexuais:

  • Cinco por crimes sexuais: algumas delas já com audiências judiciais realizadas.
  • Uma por crimes sexuais, corrupção de testemunha e coação: ainda não teve audiência;
  • Uma por crimes sexuais e falsidade ideológica: em fase de citação (comunicação ao réu);
  • Duas por posse ilegal de armas de fogo e munição: já tiveram audiências realizadas.

Fonte: G1


Continue Lendo

Brasil

64ª fase da Operação Lava Jato investiga crimes que causaram prejuízos de R$ 6 bilhões

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

A 64ª fase da Operação Lava Jato, denominada Pentiti, foi deflagrada nas primeiras horas da manhã de hoje (23) pela Polícia Federal (PF) para investigar crimes relacionados a recursos contabilizados em planilha denominada Programa Especial Italiano, gerida por uma grande empreita nacional.

Os crimes investigados são de lavagem de capitais, organização criminosa e corrupção ativa e passiva. As ações criminosas podem ter lesado os cofres públicos em pelo menos US$ 1,5 bilhão, equivalente, hoje, a aproximadamente R$ 6 bilhões.

Segundo a PF, também é objeto das investigações esclarecer a existência de corrupção envolvendo instituição financeira nacional e estatal petrolífera na exploração do pré-sal e em projeto de desinvestimento de ativos no Continente Africano.

Cerca de 80 policiais federais cumprem 12 mandados de busca e apreensão em endereços nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. As medidas cautelares foram autorizadas pela 13ª Vara Federal de Curitiba

“A investigação é complexa e trata de fatos abordados em diferentes inquéritos policiais, tendo sido impulsionada por acordo de colaboração premiada celebrado entre a PF e um ex-ministro de Estado investigado. Além da identificação de beneficiários da planilha Programa Especial Italiano e do modus operandi de entregas de valores ilícitos a autoridades”, diz PF.

Segundo a instituição, o nome Pentiti significa “arrependidos”. Ele faz referência a termo empregado na Itália para designar pessoas que fizeram parte de organizações criminosas e, após suas prisões, passaram a colaborar com as autoridades para o avanço das investigações.

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo
Acqua Blu

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 99993-7330 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat