Siga as Redes Sociais

Brasil

Ministro diz que risco de não ter Enem está totalmente afastado

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, refutou hoje (25) qualquer possibilidade de adiamento ou cancelamento da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A declaração foi dada ao lado de Jair Bolsonaro durante transmissão ao vivo na página oficial do presidente no Facebook.

A gráfica responsável pela impressão das provas nos últimos dez anos, a RR Donneley, decretou falência no dia 1º de abril.  Devido aos riscos para a aplicação da prova, o Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, contrate a Valid S.A., gráfica, que no pregão de 2016 havia ficado atrás da RR Donnelley.

“Havia um possibilidade, essa possibilidade foi afastada. O TCU foi muito parceiro em compreender o problema. Assim, risco de não ter Enem este ano está totalmente afastado. Para as pessoas que vão prestar [as provas] este ano, podem continuar estudando”, disse Weintraub.

 Questões ideológicas

Weintraub também disse  que “questões ideológicas” não serão incluídas na prova do Enem este ano e recomendou que os estudantes foquem em aspectos técnicos. 

“Acho que questões ideológicas muito polêmicas como no passado não vão acontecer este ano. Minha sugestão: foquem mais na técnica de escrever, interpretação de texto. Foquem muito em matemática, ciências, em realmente num aspecto que a gente quer desenvolver, o conhecimento científico, a capacidade da pessoa de desenvolver novas habilidades”, disse. Wintraub não exemplificou o que seriam “questões ideológicas”. 

No ano passado, ainda como presidente eleito, Bolsonaro criticou a prova do Enemrealizada no dia 4 de novembro. Em uma entrevista, ele chegou classificar o exame como um “vexame” e uma “doutrinação exacerbada”. A polêmica girou em torno de uma questão que fazia referência ao dialeto usado por gays e travestis. A pergunta, no entanto, não cobrava dos estudantes o conhecimento sobre o vocabulário de gays e travestis, mas trazia um texto de apoio sobre o tema e questionava quais as características técnicas para que uma linguagem seja considerada um dialeto. 

Alterações de decretos

Ainda durante a live, que também teve a participação do advogado-geral da União, André Luiz Mendonça e do líder do governo na Câmara, o deputado federal Major Vitor Hugo (PSL-GO), Bolsonaro disse que poderá receber sugestões de parlamentares para alterar ou revogar decretos. 

“Estamos abertos, quem achar que tem algum decreto aqui que pode ser aperfeiçoado, estamos à disposição para receber essas sugestões. Logicamente nós analisaremos junto à Secretaria de Assuntos Jurídicos e, se for o caso, a gente em duas ou três semanas corrige o decreto”, disse o presidente. Ele citou o exemplo do decreto que extinguiu o horário de verão este ano que, segundo ele, partiu de uma sugestão inicial do deputado federal João Campos (PRB-GO).  

Fonte: EBC

Saúde

EUA autorizam vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19

Avatar

Publicado

em

O governo dos Estados Unidos autorizou neste sábado (27) a vacina de dose única contra a Covid-19 da Johnson & Johnson. 

O anúncio foi feito pela Food and Drug Administration (FDA), que liberou o uso emergencial do imunizante para adultos com 18 anos ou mais. 

A aprovação deve permitir que milhões de americanos sejam vacinados nas próximas semanas, e abre espaço para aprovações em outros países.

No final de janeiro, a Johnson anunciou que a sua vacina teve 66% de eficácia em prevenir casos moderados e graves. Considerados apenas os casos graves, o nível de proteção foi de 85%. 

Nenhuma pessoa vacinada morreu de Covid. A eficácia da vacina para pacientes com casos leves da doença não foi divulgada, e os resultados ainda não foram publicados em revista científica.

“Esta é uma autorização de uso de emergência para realmente mitigar, com esperança, os efeitos devastadores da atual pandemia”, disse Marion Gruber, diretora do escritório de pesquisa e revisão de vacinas da FDA, durante a reunião do painel consultivo na sexta-feira.

Fonte: G1

Continue Lendo

Saúde

Dr. Pessoa discute compra de vacinas contra a Covid-19

Avatar

Publicado

em

O prefeito de Teresina doutor Pessoa está em diálogo com gestores de outras capitais brasileiras para facilitar a aquisição de vacinas contra a Covid -19 para os teresinenses.

A articulação do chefe do executivo municipal ocorre após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de autorizar Estados e municípios a importarem o imunizante em caso de descumprimento do Plano Nacional de Vacinação pelo governo federal ou de insuficiência de doses previstas para imunizar a população.

A liberação também vale para os casos em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não conceda autorização em 72 horas para uso de imunizantes aprovados por agências reguladoras de outros países.

O prefeito de Teresina vai participar nesta segunda-feira (1º) às 16h de encontro virtual da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), para discutir a formação de um consórcio para a aquisição de vacinas.

Segundo doutor Pessoa, a decisão de integrar o grupo acontece para acelerar a imunização contra o coronavírus na cidade. O prefeito destaca que embora o município já tenha imunizado mais de 30.400 teresinenses, a vacinação ainda caminha a passos lentos na cidade devido à pouca quantidade de doses que a capital recebeu do governo federal.

“Como prefeito de Teresina celebro a decisão do Supremo Tribunal Federal que garante aos municípios autonomia para comprar a vacina. Queremos manter o diálogo com o governo do Estado e com o governo federal, mas também achamos importante o alinhamento de ações junto aos colegas prefeitos”, declarou o doutor Pessoa.

Continue Lendo

Brasil

Média móvel de mortes por Covid chega a 1.177 e bate recorde no Brasil

Karytha Leal

Publicado

em

A média móvel de mortes por Covid-19 no Brasil ficou em 1.177 neste sábado (27/2). O indicador é o mais alto desde o início da pandemia. Considerando o número aferido há 14 dias, houve alta de 6,8% na quantidade de vítimas em decorrência da doença. Nessa sexta-feira (26,2), o Brasil tinha batido novo recorde de mortes, pelo terceiro dia consecutivo, marcando 1.152 óbitos.

Devido ao tempo de incubação do novo coronavírus, adotou-se a recomendação de especialistas para que a média móvel do dia seja comparada à de duas semanas atrás.

Variações na quantidade de mortes ou de casos de até 15%, para mais ou para menos, não são significativas em relação à evolução da pandemia. Já percentuais acima ou abaixo devem ser encarados como tendência de crescimento ou de queda.

Em números absolutos, o país registrou 1.386 óbitos em decorrência da Covid-19 e 61.602 novas infecções de coronavírus nas últimas 24 horas, segundo o mais recente balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). No total, o Brasil já perdeu 254.221 vidas para a doença e computou 10.517.232 casos de contaminação.

Os cálculos são feitos pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, e se baseiam nos relatórios repassados pelo Ministério da Saúde. Essas informações também alimentam o painel interativo com notícias sobre a pandemia desde o primeiro caso da doença registrado no país.

Média móvel

Acompanhar o avanço da pandemia de Covid-19 com base em dados absolutos de morte ou de casos está longe do ideal. Isso porque eles podem apresentar variações diárias muito grandes, principalmente atrasos nos registros. Nos fins de semana, por exemplo, é comum perceber redução significativa dos números.

Para reduzir esse efeito e produzir uma visão mais fiel do cenário, a média móvel é amplamente utilizada ao redor do mundo. A taxa, então, representa a soma das mortes divulgadas em uma semana dividida por sete. O nome “móvel” é porque varia conforme o total de óbitos dos sete dias anteriores.

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat