Siga as Redes Sociais

Política

Atividade suspeita a favor de Carlos Bolsonaro é detectada no Twitter

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Ueslei Marcelino

Hashtags de apoio ao presidente Jair Bolsonaro ou de ataque àqueles vistos como ameaça pelos bolsonaristas chegaram pela primeira vez ao topo da lista de conteúdos publicados a partir de contas falsas no Twitter.

A constatação é do Bot Sentinel, uma ferramenta criada em 2018 para monitoramento de publicações surgidas a partir de contas falsas, conhecidas como robôs ou simplesmente bots.

Seu fundador, o americano Christopher Bouzy, 45, disse se tratar da primeira vez que conteúdos não-relacionados aos EUA chegaram ao topo de sua lista da atividade mundial de contas falsas.”Foi surpreendente notar a ascensão de frases e hashtags ligadas ao Brasil a partir do início de abril”, conta Bouzy.

“Até agora, o Bot Sentinel tinha focado em atividades não-autênticas e em hashtags relacionadas aos EUA. Não controlamos o que o algoritmo descobre, portanto, não dissemos a ele que procurasse contas falsas amplificando hashtags e frases do Brasil. O algoritmo as encontrou sozinho.”

No próprio sábado (25), o Bot Sentinel colocou no topo das hashtags globais disseminadas por contas falsas o #FechadocomBolsonaro. Na segunda, assumiu a liderança das tags de bots o #MaisTemQueCair, seguida, de #Trump2020 e, em terceiro lugar, de #MaiaVaiCair.

Entre as seis hashtags brasileiras identificadas pelo programa como de mais intensa atividade no Twitter nos últimos dias não está aquela que, por conter um erro de digitação replicado milhares de vezes, levantou suspeitas do uso de robôs entre usuários da rede social: #FechadocomBolsolnaro, com um “L” a mais.

A hashtag com um “L” a mais viralizou na segunda (27) mas, segundo nota do Twitter, não foi encontrado “qualquer indicativo de comportamento coordenado inautêntico ou inorgânico relacionado à hashtag mencionada”. Segundo a rede social, “não é raro que hashtags com erro de digitação sejam utilizadas repetidas vezes, uma vez que o recurso de autocompletar pode sugerir ao usuário um termo já utilizado anteriormente ainda que esteja escrito de forma equivocada”.

Desde que o Brasil entrou no radar do Bot Sentinel, o projeto que vive de pequenas doações de pessoas físicas viu choverem contribuições de brasileiros.

Carluxo B, Jesus na Goiabeira, Flavio Rachadinha B, Gabinete do Ó e Fa-milícia A são alguns dos mais de 60 usuários brasileiros de Twitter que, nas últimas 24 horas, fizeram doações para o projeto.

“Até agora, recebemos doações de aproximadamente 200 brasileiros!”, celebra Bouzi. “Acredito que o povo brasileiro esteja farto da ação de contas falsas que está testemunhando e queira apoiar um projeto que ajude a expor a má conduta on-line.”

Tamanho interesse tem feito o engenheiro de softwares Bouzi considerar a possibilidade de criar uma versão de seu site em português. Para ele, ferramentas como a que ajudou a criar, a partir de técnicas de inteligência artificial e machine learning, são “críticas para ajudar as pessoas a distinguirem fatos de ficção, fake de real”.

“Contas falsas tem se confirmado como uma grande ameaça a sistemas políticos democráticos porque distorcem a realidade e espalham informações sem lastro em plataformas das mídias sociais”, avalia Bouzi, que aprendeu linguagem de programação sozinho a partir dos 9 anos de idade.

“Esse tipo de atividade pode fazer alguém impopular parecer popular, ou, ao contrário, tornar impopular alguém que é popular. Isso abala a opinião pública, influenciando em processos eleitorais.”

Fonte: Notícias ao Minuto

Política

Alegando crise, Dr. Pessoa diz que não vai criar Secretaria Municipal de Segurança

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Reprodução/Instagram

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB), afirmou nesta sexta-feira (22/01) que não vai mais criar a Secretaria Municipal de Segurança Pública, um dos projetos defendidos pelo atual gestor durante sua campanha eleitoral. O prefeito alegou o momento de crise vivido pelo país como um dos fatores que influenciaram na decisão.

“Provavelmente, não teremos a Secretaria de Segurança Municipal. Estamos passando por um momento de dificuldades financeiras. Não vamos colocar em risco os trabalhadores”, disse Pessoa.

O prefeito ainda disse ter conversado com o governador Well Dias (PT), para tentar firmar uma parceria com o governo para melhorar a segurança e focar na qualificação da Guarda Civil Municipal.

“Temos a possibilidade de melhorarmos e qualificar a Guarda Municipal, que foi algo feito de maneira eleitoreira, embora eles tenham passado em concurso. Já estive conversando com o governador Wellington Dias. Ele de pronto disse que terão as academias para qualificar o efetivo”, afirmou Pessoa.

Continue Lendo

Política

Wellington Dias diz que parte das vacinas do Piauí serão destinadas ao Amazonas

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

O governador Wellington Dias (PT) informou nesta sexta-feira (22/01), que parte das vacinas contra a Covid-19 destinadas ao Piauí e outros estados da federação, serão enviadas ao Amazonas. Dias afirmou que a proposta foi discutida e aprovada no Fórum de Governadores do Brasil, na noite dessa quinta-feira (21/01).


“Participei até tarde da noite de ontem de agenda técnica com a participação de técnicos do Ministério da Saúde e dos que acompanham de Manaus. A situação é grave, muito mais grave do que antes e o pior é que o vírus começa a se espalhar. Já com presença forte na divisa com o estado do Pará. Por esta razão, defendi uma proposta técnica apresentada para que tivéssemos aprovação, e tivemos, por parte dos governadores para que na distribuição dos novos lotes de vacina, mais de 6 milhões de doses, para que possamos tirar uma fatia maior, algo como 5%, cerca de 300 mil vacinas, para viabilizar a vacina em Manaus e nestes municípios mais afetados, inclusive com a divisão com os estados”, disse.

O governador ainda explica que a ação além de ser humanitária, tem cunho estratégico e o objetivo é controlar a propagação do vírus em todo o país.

“É uma ação não só humanitária, mas estratégica para evitar a propagação. Controlando em Manaus, estamos controlando no Brasil. A aprovação é um gesto importante pelo Fórum dos Governadores do Brasil e apoiado pelo Ministério da Saúde”.


Continue Lendo

Política

Lewandowski nega decisão liminar para afastar Pazuello da Saúde

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: STF

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou hoje (21) uma liminar (decisão provisória) para afastar o general da ativa Eduardo Pazuello do cargo de ministro da Saúde.

Na decisão, Lewandowski afirmou que o Supremo não possui autoridade para determinar a medida, pois “compete privativamente ao presidente da República, nos termos do art. 84, I, do texto constitucional nomear e exonerar os ministros de Estado’”.

A liminar havia sido pedida pelo partido Rede, que para justificar o afastamento de Pazuello alegou “diversos equívocos, incluídos os de logística, na condução das atividades ministeriais durante a pandemia do Coronavírus”. A legenda destacou as mais de 210 mil pessoas que morreram de covid-19 no Brasil e a recente falta de oxigênio em unidades hospitalares do Amazonas e do Pará.

Lewandowski frisou, contudo, que eventual afastamento de ministro de Estado depende da atuação da Procuradoria-Geral da República, a quem cabe apurar os crimes cometidos por essas autoridades, sejam comuns ou de responsabilidade.

“Ainda que, apenas para argumentar, o requerente pretendesse protocolar um pedido de impeachment do titular daquela pasta [Saúde], mesmo assim teria de endereçá-lo ao Procurador-Geral da República, e não diretamente ao Supremo Tribunal Federal”, afirmou o ministro.

Lewandowski reclamou ainda que a solicitação da Rede para afastar Pazuello não veio acompanhada de “quaisquer comprovações empíricas”, tendo sido “baseada em meras notícias jornalísticas, as quais dão conta de uma possível – e, a ser verdade, preocupante – falta de insumos médico-hospitalares na região Norte do país, em especial de estoques de oxigênio”.

O ministro também entendeu que o pedido, feito em uma ação de descumprimento de preceito fundamental, não tem relação com a causa original da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) aberta pela Rede, que trata da compra de vacinas pelo Ministério da Saúde.

Desde que abriu a ação, em outubro, a Rede vem apresentando sucessivos pedidos adicionais. Além do afastamento de Pazuello, o partido havia pedido que o Supremo obrigasse o governo a prestar informações sobre o estoque de oxigênio no sistema de saúde país e apresentasse, em 24 horas, um planejamento para a disponibilização do insumo aos estados da região Norte.

As solicitações não foram atendidas por Lewandowski. O ministro destacou que tais providências – requisição de informações e a exigência de execução de políticas públicas – “podem ser levadas a efeito sem a intervenção do Judiciário, por meio da competência atribuída à Câmara dos Deputados e ao Senado”.

Em uma outra ADPF, aberta pelo PCdoB e o PT, Lewandowski determinou que o governo apresente um plano detalhado, e que o atualize a cada 48 horas, sobre o enfrentamento da crise sanitária no Amazonas. Em uma primeira comunicação, a Advocacia-Geral da União (AGU) disse que as autoridades federais sabiam desde 8 de janeiro do risco de falta de oxigênio em Manaus. 

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat