Siga as Redes Sociais

Esporte

“Prefiro que não venha”, diz presidente da Liga espanhola sobre Neymar

Redação Encarando

Publicado

em

“Prefiro que não venha”, afirmou o presidente da Liga espanhola de futebol sobre a possível volta ao Barcelona de Neymar, em declarações à rádio Onda Cero.

“Eu prefiro que Neymar não venha porque não é um bom exemplo. Se ele se comportar melhor… Pode ser um grande jogador, mas o comportamento também é muito importante nos valores que transmitimos como competição”, afirmou Tebas.

“Na Liga sempre queremos trazer grandes jogadores, mas no caso de Neymar esse comportamento não é bom para a competição, porque no fim a notícia é sobre o que o jogador fez ou deixou de fazer. Trabalhamos muito para manter nossos valores e não queremos mudar a imagem”, completou o dirigente.

Neymar, que em 2017 deixou o Barcelona em troca de 222 milhões de euros pagos pelo PSG, estaria interessado em voltar, segundo a imprensa espanhola.

O diário esportivo Sport publicou na terça-feira passada que o atacante de 27 anos e o Barcelona chegaram a “um acordo verbal” para assinar um contrato de cinco anos.

Ainda segundo a imprensa, o PSG estaria disposto a negociar Neymar por um valor significante. O jogador, que se recupera de uma lesão no tornozelo que o tirou da Copa América, enfrenta fora dos campos uma acusação de estupro.

Fonte: Isto É

Futebol

Palmeiras bate Grêmio com um a menos e depende de empate para ganhar Copa do Brasil

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: César Greco/Palmeiras

O Palmeiras depende de um empate para conquistar o tetracampeonato da Copa do Brasil. Na primeira final, disputada na noite deste domingo, o time alviverde contou com gol de Gustavo Gomez na Arena do Grêmio para bater a equipe mandante por 1 a 0, apesar da expulsão de Luan.

Com o resultado, o Palmeiras garante o título com um empate na segunda final, enquanto vitória simples do Grêmio leva aos pênaltis – na Copa do Brasil, não há gol qualificado. O confronto decisivo está marcado para as 18 horas (de Brasília) de domingo, no Allianz Parque.

Pela segunda rodada do Campeonato Paulista, com um time reserva, o Palmeiras entra em campo para enfrentar o arquirrival Corinthians às 19 horas desta quarta-feira, na Neo Química Arena. Ao mesmo tempo, pela segunda rodada do Gaúcho, o Grêmio encara o Brasil de Pelotas, novamente em sua arena.

O Jogo – O primeiro tempo foi de chances escassas até os 31 minutos do primeiro tempo, quando o Palmeiras conseguiu inaugurar o marcador. Raphael Veiga cobrou escanteio pelo lado direito e Gustavo Gomez subiu sozinho para cabecear firme. Na tentativa de defender, Paulo Victor espalmou para dentro do gol.

Com dificuldades para articular boas jogadas no campo de ataque, o Grêmio no primeiro tempo levou perigo apenas em chute da entrada da área. Alisson ajeitou para a perna esquerda e, diante da marcação de Gustavo Gomez, bateu forte. Weverton saltou para defender, mas a bola passou por cima do gol.

O Palmeiras desperdiçou uma grande chance de ampliar no final do primeiro tempo. Após belo passe de Raphael Veiga, Luiz Adriano escapou de Paulo Miranda e, livre, chutou por cima do gol. O assistente assinalou impedimento, mas o centroavante estava em posição legal.

O time alviverde manteve a superioridade e voltou a desperdiçar uma boa oportunidade no começo da etapa complementar. Em linda jogada pela esquerda, Raphael Veiga colocou a bola entre as pernas de Paulo Miranda e cruzou. Livre, Rony tocou por cima do gol.

Aos 18 minutos do segundo tempo, com o jogo dominado pelo Palmeiras, Luan tinha o controle da bola e, inexplicavelmente, deu uma cotovelada em Diego Souza, que ficou com o rosto sangrando. Após ver seu zagueiro receber o cartão vermelho, Abel Ferreira trocou Raphael Veiga e Wesley por Gabriel Menino e Alan Empereur.

Renato Gaúcho, por sua vez, substituiu Victor Ferraz e Maicon por Churin e Ferreira. Com Ferreira pela direita e dois centroavantes dentro da área, o Grêmio aumentou seu volume e ficou limitado aos cruzamentos. Mesmo acuado na defesa, sem referência desde a saída de Luiz Adriano, o Palmeiras conseguiu segurar o resultado favorável.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 0 x 1 PALMEIRAS

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 28 de fevereiro, domingo
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (Fifa-RJ) e Alessandro Alvaro Rocha de Matos (Fifa-RJ)
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Diogo Barbosa, Kannemann e Vanderson (GRE); Zé Rafael, Willian (PAL)
Cartão vermelho: Luan (PAL)
Gol:
PALMEIRAS: Gustavo Gomez (31min do 1º Tempo)

GRÊMIO: Paulo Victor; Victor Ferraz (Churin), Paulo Miranda (Vanderson), Kannemann e Diogo Barbosa; Maicon (Ferreira), Matheus Henrique e Jean Pyerre (Isaque); Pepê, Alisson (Thaciano) e Diego Souza
Técnico: Renato Gaúcho

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gomez e Matías Viña; Felipe Melo, Zé Rafael (Danilo) e Raphael Veiga (Gabriel Menino); Rony (Mayke), Wesley (Alan Empereur) e Luiz Adriano (Gabriel Veron)
Técnico: Abel Ferreira

Fonte: Gazeta Esportiva

Continue Lendo

Futebol

4º rebaixamento coloca Vasco entre os clubes que mais caíram no Brasil

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Reprodução/Lance

O Vasco está oficialmente rebaixado. O tradicional clube carioca não conseguiu o ‘impossível’ de tirar 12 gols de saldo para o Fortaleza, 16º colocado no Brasileirão e, mesmo com a vitória para cima do Goiás, disputará a segunda divisão pela quarta vez em sua história. Sem conseguir bons resultados já há alguns anos, o time é um dos que mais caiu para a Série B. Veja os ‘campeões’ nesse quesito:

  • Com a queda neste Brasileirão, o Coritiba chegou ao seu sexto rebaixamento para a Série B. As quedas aconteceram nos anos de 1989, 1993, 2005, 2009, 2017 e 2020;
  • América-MG, de volta à Série A em 2021, também tem seis rebaixamentos. O Coelho caiu para a Série B nos anos de 1993, 1998, 2001, 2011, 2016 e 2018;
  • Também com seis rebaixamentos para a Série B aparece o Vitória, que caiu nos seguintes anos: 1982, 1991, 2004, 2010, 2014 e 2018;
  • Sport, que se livrou em 2020, tem cinco quedas para a Série B. Elas ocorreram nos anos de 1989, 2001, 2009, 2012 e 2018;
  • Com os rebaixamentos nos anos de 1988, 1993, 2001, 2006 e 2016, o Santa Cruz, um dos maiores rivais do Sport, é outro que já caiu cinco vezes para a segunda divisão;
  • Mais um time rebaixado nesta temporada. O Goiás chega à quinta queda: 1993, 1998, 2010, 2015 e 2020;
  • Criciúma foi rebaixado para a Série B quatro vezes:1988, 1997, 2004 e 2014;
  • Rebaixado com o xxx, o Vasco é mais um a chegar a quatro quedas: 2008, 2013, 2015 e 2020;
  • Náutico também caiu para a B quatro vezes: 1992, 1994, 2009 e 2013;
  • Fechando os ‘tetras’, aparece o Avaí, que caiu nos anos de 2011, 2015, 2017 e 2019;
  • Com o rebaixamento desse ano, o Botafogo vai jogar a Série B pela terceira vez em sua história. As duas primeiras foram em 2002 e 2014;
  • 1997, 2003 e 2014 foram os anos que o Bahia caiu para a Série B;
  • Athletico-PR também caiu três vezes: 1989, 1993 e 2011;
  • Figueirense foi da Série A para a Série B em 2008, 2012 e 2016;
  • Fortaleza caiu em 1993, 2003 e 2006;
  • Guarani foi rebaixado para a segundona nos anos de 1989, 2004 e 2010;
  • Paraná foi rebaixado em 1999, 2007 e 2018;
  • Paysandu caiu em 1992, 1995 e 2005;
  • Ponte Preta foi rebaixada para a Série B em 2006, 2013 e 2017;
  • Quem também caiu três vezes foi a Portuguesa: 2002, 2008 e 2013;
  • Até mesmo o atual campeão da América está na lista. O Palmeiras já foi rebaixado duas vezes: 2002 e 2012. Outros times que caíram duas vezes são: América-RN (1998 e 2007), Atlético-GO (2012 e 2017), Botafogo-SP (1999 e 2001), Bragantino (1996 e 1998), Ceará(1993 e 2011), Gama (1999 e 2002), Grêmio (1991 e 2004), Juventude (1999 e 2007), e União São João-SP (1995 e 1997)

Fonte: Lance

Continue Lendo

Futebol

São Paulo vence Flamengo, mas time de Rogério Ceni é campeão no Morumbi

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Alexandre Vidal

O São Paulo, enfim, garantiu vaga direta na fase de grupos da Libertadores. Recebendo o Flamengo nesta quinta-feira, no Morumbi, em jogo que valia o título para os visitantes, o Tricolor entrou em campo apostando no esquema 3-5-2, com uma postura muito mais defensiva, e a estratégia deu certo, conquistando o triunfo por 2 a 1. Luciano e Pablo balançaram as redes para os donos da casa. Bruno Henrique marcou o tento rubro-negro. Apesar do revés, o time comandado por Rogério Ceni acabou faturando o bicampeonato brasileiro.

Esse foi o primeiro título brasileiro de Rogério Ceni como treinador. Coincidentemente, o ex-goleiro se sagrou campeão justamente no palco onde se acostumou a erguer troféus e se tornou ídolo, mas agora vestindo outras cores.

O São Paulo, por sua vez, se despede do Brasileirão em quarto lugar. Depois de chegar a liderar a competição com sete pontos de vantagem para o segundo colocado, o Tricolor perdeu fôlego na reta final, trocou de treinador, mas, ao menos, manteve sua invencibilidade enfrentando Rogério Ceni. Agora são oito jogos, com seis vitórias são-paulinas e dois empates.

O jogo – O Flamengo começou o jogo dominando as ações ofensivas. Com o São Paulo retraído na defesa, o time comandado por Rogério Ceni não perdeu tempo e logo aos seis minutos quase abriu o placar. Arrascaeta cobrou escanteio, a zaga tricolor desviou de cabeça, e a bola sobrou nos pés de Gabigol, que pegou de primeira, mandando por cima da meta de Tiago Volpi, à queima-roupa. Depois, aos 12, Gustavo Henrique cabeceou cruzado, em direção ao chão, forçando o goleiro são-paulino a fazer grande defesa, mas o árbitro marcou falta do zagueiro rubro-negro, que se apoiou na marcação ao saltar.

O São Paulo só foi responder aos 18 minutos, em jogada de contra-ataque. Igor Vinícius recebeu lançamento, matou no peito já adiantando, invadindo a área, e sendo derrubado por Isla. O pênalti existiu, mas a arbitragem não deu pelo fato de Daniel Alves ter dominado a bola com o braço na origem do lance.

O Flamengo continuou com mais posse de bola, mas enfrentando dificuldades para furar o forte sistema defensivo do São Paulo, que apostou no esquema 3-5-2. Aos 33 minutos, Arrascaeta teve a chance de abrir o placar em cobrança de falta, mas bateu na barreira. No rebote, Everton Ribeiro arriscou de fora da área, mas mandou longe do gol defendido por Volpi. Antes do intervalo, os visitantes ainda tiveram mais uma chance de balançar as redes com Gabigol. Bruno Henrique desviou de cabeça após cobrança de escanteio, e o camisa 9 apareceu no segundo pau para completar, mas mandou para fora.

Quis o destino que o São Paulo, que pouco ameaçou no primeiro tempo, abrisse o placar já nos acréscimos. Tchê Tchê sofreu falta de Everton Ribeiro na entrada da área, dentro da meia-lua. Luciano foi para a cobrança e não desperdiçou, batendo forte, no cantinho, surpreendendo o goleiro Hugo Moura.

Segundo tempo

Precisando da vitória a qualquer custo, o Flamengo voltou para o segundo tempo pilhado e não demorou muito para empatar a partida. Aos cinco minutos, Gustavo Henrique completou de cabeça o escanteio de Arrascaeta, e Bruno Henrique apareceu no meio do caminho para mandar para o fundo das redes, deixando tudo igual no Morumbi.

O Flamengo mal teve tempo para comemorar o empate. Aos 13, Hugo Souza rebateu a bola no peito de Daniel Alves, que deu passe açucarado para Pablo. O camisa 9 saiu frente a frente com o goleiro rubro-negro e tocou por baixo das pernas do adversário, recolocando o São Paulo em vantagem.

Aos 20 minutos, Rogério Ceni teve de tirar Gabigol, que sentiu um desconforto muscular, e acionar Pedro. E com pouco tempo o centroavante já criou uma chance de perigo. Em disputa com Bruno Alves, ele levou a melhor e cruzou na cabeça de Bruno Henrique, que completou no segundo pau, mas mandou para fora, assustando a defesa tricolor.

Nos minutos finais, o Flamengo ainda tentou de tudo para comemorar o título sem uma derrota, até porque se o Internacional marcasse um gol contra o Corinthians, o título ia por água abaixo. Mas, o Colorado não balançou as redes no Beira-Rio, e, mesmo não conseguindo evitar o revés, Rogério Ceni e seus comandados acabaram faturando o Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 FLAMENGO  

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 25 de fevereiro de 2021, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Victor Hugo dos Santos (PR)
VAR: Wagner Reway (PB)

Gols: Luciano, aos 49 do 1ºT, e Pablo, aos 13 do 2ºT (São Paulo); Bruno Henrique, aos 5 do 2ºT (Flamengo)
Cartões amarelos:
 Tchê Tchê, Arboleda, Daniel Alves, Igor Vinícius, Welington, Luciano (São Paulo); Everton Ribeiro, Gabigol (Flamengo)
Cartão vermelho: Charles Hembert (Flamengo)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Arboleda, Diego Costa e Bruno Alves; Igor Vinícius (Galeano), Luan (Hernanes), Daniel Alves, Tchê Tchê e Welington (Gabriel Sara); Luciano (Igor Gomes) e Pablo (Tréllez).
Técnico: Marcos Vizolli.

FLAMENGO: Hugo; Isla (Matheuzinho), Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luis; Gerson, Diego (João Gomes), Arrascaeta e Everton Ribeiro; Bruno Henrique e Gabigol (Pedro).
Técnico: Rogério Ceni

Fonte: Gazeta Esportiva

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat