Siga as Redes Sociais

Saúde

Nas últimas 24h, mais 03 óbitos e 22 novos casos de Covid-19 são registrados em Teresina

Avatar

Publicado

em

Segundo dados da Fundação Municipal de Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi), Teresina registrou, neste sábado (09) mais três mortes ocasionadas pela Covid-19, atingindo a marca de 22 óbitos de residentes na capital. Além disso, 22 casos novos da doença foram computados nas últimas 24 horas, totalizando 755 pessoas infectadas.

Uma das vítimas era um homem, 36 anos, imunossuprimido, residente na zona Norte e que estava internado no Hospital de Doenças Tropicais Natan Portela. A outra vítima era uma mulher, 76 anos, hipertensa e diabética, residente na zona Sul e que estava internada em hospital privado. A terceira vítima era um homem, tinha 90 anos, diabético, residente na zona Norte e estava internado no Hospital do Buenos Aires.

Neste domingo (10), a Prefeitura de Teresina finaliza a quarta etapa da pesquisa de investigação sorológica para conhecer a situação da pandemia do novo Coronavírus na capital. Teresina é a primeira cidade do Brasil a ter essa série de pesquisas e já testou 2.700 pessoas.

Na terceira sondagem, que aconteceu entre os dias 01 e 03 de maio, o índice de pessoas com a doença foi de 1,44%, ou seja, a cidade tinha 12.492 infectados, quantidade 53 vezes maior que os 237 casos notificados no domingo anterior à pesquisa. Da primeira etapa da sondagem para a segunda, houve um crescimento de 59% no número de infectados. Já da segunda para terceira, o aumento foi de 62%.

A Covid-19 é uma doença causada pelo Coronavírus SARS-CoV-2, que apresenta um quadro clínico que varia de infecções assintomáticas a quadros respiratórios graves. A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de: toque do aperto de mão; gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos, teclados de computador etc.

Saúde

Vacinas da Índia devem chegar hoje ao Rio

Laurivânia Fernandes

Publicado

em

Foto: Dado Ruvic/Reuters

As vacinas contra a covid-19 desenvolvidas em parceria entre a AstraZeneca e a Universidade de Oxford devem chegar ao Brasil, vindas da Índia, nesta sexta-feira (22). A informação foi dada pelo Ministério das Comunicações por meio de nota oficial na tarde de hoje (21). À noite, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também divulgou uma nota sobre a chegada da vacina.

As 2 milhões de doses serão enviadas por meio de um voo comercial da companhia aérea Emirates. A previsão é que a carga chegue no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo às 17h40 e, após os trâmites alfandegários,  a carga será embarcada em outro avião que segue para o Aeroporto Internacional do Galeão, de onde será levada para a Fiocruz. As vacinas foram fabricadas pelo laboratório indiano Serum.

O governo brasileiro tenta desde a semana passada trazer a carga de imunizantes do país asiático. A previsão inicial era que elas estariam aqui no domingo passado (17). Contudo, o governo da Índia recuou e as autoridades brasileiras passaram a dialogar para liberar a carga.

A Índia anunciou nesta semana a exportação de vacinas para seis países, sem incluir o Brasil. Na noite de ontem, o secretário de Relações Exteriores da Índia, Harsh Srhingla, confirmou à Agência Reuters a liberação da exportação.

O presidente Jair Bolsonaro publicou nas suas redes sociais sobre a liberação das exportações da vacina e cumprimentou o ministro das relações exteriores Ernesto Araújo e os servidores do Itamaraty pelo trabalho.

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo

Saúde

PI: Caldeirão Grande registra a 1ª morte por Covid-19

Avatar

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi) divulgou nesta quarta-feira (20), que o estado do Piauí registrou em 24h, 09 óbitos e 774 casos de COVID-19. O estado já registrou 152.997 casos confirmados e 2.976 mortes.

Duas mulheres e sete homens não resistiram às complicações do coronavírus. Elas eram das cidades de Bela Vista do Piauí (83 anos) e Riacho Frio (65 anos). Os homens eram de Alegrete do Piauí (77 anos), Caldeirão Grande do Piauí (72 anos), Oeiras (82 anos), Parnaíba (60 anos) e Teresina (11,74 e 82 anos). Apenas a criança de 11 anos não possuía comorbidades.

Os casos confirmados no estado somam 153.771 distribuídos em todos os municípios piauienses. Já os óbitos pelo novo coronavírus chegam a 2.985 e foram registrados em 204 municípios. Até agora, morreram 1.751 homens e 1.234 mulheres.

Continue Lendo

Brasil

Sem insumos, produção da CoronaVac no Butantan está parada desde domingo

Karytha Leal

Publicado

em

O Instituto Butantan já envasou todo insumo disponível no momento para a fabricação da CoronaVac, vacina contra a covid-19, e está com as máquinas paradas desde o último domingo (17). O instituto aguarda a chegada de mais matéria-prima da China para continuar a produção do imunizante.

A maioria das doses fabricadas pelo Butantan já foi envasada e estão prontas para distribuição, e uma parte da produção está em fase de rotulagem e embalagem, segundo o instituto.

Segundo o presidente do Butantan, Dimas Covas, a previsão de chegada dos insumos é até o final de janeiro. “Nossa previsão de chegada até o fim deste mês é de 5.400 litros. E mais 5.600 litros até o dia 10 de fevereiro. Essa matéria-prima está pronta e aguardando trâmite burocrático”, disse.

Com essa quantidade de produto em mãos, o Butantan afirma que pode produzir até 11 milhões de novas doses da CoronaVac — desde segunda-feira 6 milhões de doses do imunizante, produzido pelo laboratório chinês Sinovac, foram distribuídos no Brasil. Outros 4,8 milhões estão prontos, aguardando autorização da Anvisa para serem disponibilizadas.

Ainda segundo Covas, há quatro instâncias de órgãos estatais chineses responsáveis por dar o aval à liberação e a autorização para o envio da carga ao Brasil está na última instância.

Dobrar a capacidade de produção;

Assim que chegarem os novos insumos da China, a expectativa do Butantan é conseguir duplicar a produção da vacina, passando de 1 milhão para 2 milhões de doses diárias do imunizante.

Para isso, é necessário que os cientistas consigam finalizar a produção da vacina contra a influenza, sendo possível, assim, concentrar dois setores inteiros do instituto na produção da CoronaVac.

Entrave sobre insumos;

A importação de insumos da China se tornou mais urgente depois que o governo federal fracassou na aquisição das vacinas da AstraZeneca/Oxford, produzidas em laboratório na Índia, fazendo com que a CoronaVac se tornasse o único imunizante disponível para os brasileiros.

Tanto o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), quanto Dimas Covas cobraram celeridade e seriedade do governo de Jair Bolsonaro para ajudar nas tratativas para liberação dos insumos da vacina.

Hoje, após se encontrar com o embaixador da China, Yang Wanming, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o atraso na exportação do material para Brasil ocorre por razões técnicas, e não políticas.

A relação do governo brasileiro com a embaixada da China no país tornou-se tensa depois de o chanceler brasileiro Ernesto Araújo e o filho do presidente Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fazerem críticas à China e ao embaixador chinês. Eduardo chegou a culpar a “ditadura chinesa” pela pandemia do novo coronavírus.

Em resposta a uma das críticas, feitas pelo filho do presidente e deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), a embaixada da China no Brasil citou “consequências negativas” para o governo pelas afrontas.

Continue Lendo
Casas Duplex

Trending

Copyright © 2018 Encarando - Silas Freire. Todos os Direitos Reservados.
WhatsApp: 86. 98183-1178 / Fixo: 3234-9879
Email: encarando.com@gmail.com

WhatsApp chat